Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

CORONEL SAPUCAIA

Esquema internacional <br>mandava droga e submetralhadora ao RJ

Ação resultou em duas pessoas presas e 2,2 quilos de maconha apreendidas
05/08/2015 10:28 - LAURA HOLSBACK


 

Esquema de tráfico internacional de drogas foi desmontado, na noite de ontem (4), por policiais do Departamento de Operações de Fronteira (DOF), em Coronel Sapucaia, fronteira com o Paraguai. Foram apreendidas maconha, submetralhadora e dois traficantes presos. A ação policial começou em procedimento de revista, na MS-289, em Dourados.

De acordo com informações do Boletim de Ocorrência, Tarcísio Silva Santos, 34 anos, e Romário Ferreira da Silva, 28, seguiam em um Kadett e, ao serem parados em abordagem policial, apresentaram versões contraditórias sobre a viagem e demonstraram nervosismo.

Durante o questionamento, Tarcísio confessou envolvimento no tráfico de drogas e disse que havia chegado em Coronel Sapucaia há um mês para comprar maconha, cuja negociação ocorreu na segunda-feira (3). Revelou, ainda, que há dois anos atua na fiscalização do embarque e conferência da qualidade de cargas do entorpecente que tiveram como destino o Rio de Janeiro. Por cada remessa enviada, recebia de R$ 1 mil a R$ 10 mil.

O traficante indicou onde a carga estava escondida, no forro de uma casa na Travessa Elizete Gomes, em Coronel Sapucaia, e policiais viajaram, acompanhados pela dupla, de Douradas até a cidade. 

DEPÓSITO

Tarcísio relatou que a casa era alugada especialmente para o armazenamento de entorpecentes. Pagava R$ 450 por mês para Izabel Souza Damaceno, 39, apontada também como integrante do grupo criminoso.

No caminho ao imóvel, policiais passaram na casa de uma suposta namorada de Tarcísio, a qual, após a saída deles, avisou Izabel sobre a ação policial. Esta, por sua vez, fugiu levando outra parte da droga e policiais conseguiram apreender 2,2 quilos. A droga seria levada em um Fox para o Rio de Janeiro. 

Ainda no local, foi apreendida uma submetralhadora, calibre nove milímetros.

PARAGUAI

Tarcísio informou que comprava cargas do entorpecente e armas no Paraguai. Pagava R$ 100 no quilo e revendia a R$ 800 na cidade carioca. Romário assumiu que agia com a função de levar os carregamentos.

Os dois foram indiciados por tráfico de drogas e Izabel é procurada pela polícia.

 

Felpuda


Dois pedidos de desculpas, de autorias diferentes, foram assuntos muito comentados nas redes sociais com críticas ácidas às suas declarações, até porque os envolvidos não só os usaram despropositadamente, como tiveram de voltar a eles para se redimirem. Um deles, inclusive, quase criou uma crise política da-que-las, o que obrigou seu pai, figurinha carimbada, a pular miúdo para colocar panos quentes sobre a questão. Essa gente!...