Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Assine a Newsletter

ENFRENTAMENTO AO CRIME

PF deflagra operação para combater tráfico de drogas
em aldeias indígenas

Ação policial foi batizada como "Tekoha II" e deve cumprir 19 mandados judiciais na cidade

4 SET 15 - 08h:44LAURA HOLSBACK

Operação denominada "Tekoha II" - de significado aldeia guarani, é deflagrada na manhã desta sexta-feira (4) para combater o crime de tráfico de drogas na reserva indígena do segundo maior município de Mato Grosso do Sul – Dourados.

Estão previstos cumprimentos de 19 mandados de busca e apreensão, expedidos pela 1º Vara Criminal, contra a modalidade criminosa.

Segundo o site Dourados Agora, cerca de 100 policiais da Polícia Federal e Militar, além de cães farejadores estão empenhados na ação.

FASES

Esta é a segunda fase da Operação Tekoha nas aldeias de Dourados. A primeira ocorreu em 11 de junho de 2011, quando 40 mandados de busca e apreensão foram expedidos. Na época, os trabalhos de investigações começaram no final do ano de 2010.

Conforme divulgado pela PF, traficantes agem na reserva indígena da cidade com trabalho de “formiguinha”. Tipo de tráfico feito em pequenas quantidades.

Esse artigo foi útil para você?
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Chuva derruba árvores, alaga ruas, deixa moradores ilhados e arrasta carros na Capital
TEMPORAL

Chuva derruba árvores, alaga ruas, deixa moradores ilhados e arrasta carros na Capital

Prefeituras assumem seis escolas fechadas pelo Estado
EDUCAÇÃO

Prefeituras assumem seis escolas fechadas pelo Estado

Em dois meses, dois são presos e 369 kg de pescado são apreendidos em operação
OPERAÇÃO PIRACEMA

Em dois meses, dois são presos e 369 kg de pescado são apreendidos em operação

MEC diz que 143,7 mil participantes 'zeraram' em redação no Enem
RESULTADO

MEC diz que 143,7 mil participantes 'zeraram' em redação no Enem

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião