Campo Grande - MS, sábado, 18 de agosto de 2018

era vigia

Homem morre depois de sofrer
corte profundo na garganta

Perícia identificou que vítima foi morta dois dias atrás

6 SET 2017Por RODOLFO CÉSAR15h:50

Miguel Caris Pinho, 53 anos, morreu depois de sofrer um profundo corte na garganta. O assassinato aconteceu há cerca de dois dias, mas a vítima, que trabalhava como vigia, só foi encontrada hoje, por volta do meio-dia. O homem morava na Rua Projetada, no bairro Estrela Jupy, em Dourados.

A Polícia Militar foi a primeira a ser acionada para verificar o crime. Vizinhos avisaram as autoridades depois de acharem estranho a casa onde morava Pinho estar sem cadeado e haver um cheiro muito forte vindo do local.

A perícia criminal identificou o ferimento no pescoço causado possivelmente por navalha ou faca. A morte de Pinho aconteceu no mínimo há 48 horas, apontou primeira análise pericial. Na parede da casa da vítima ainda havia sangue e ao lado do corpo outras marcas.

A última vez que o homem manteve contato com alguém foi no domingo (3). Ele conversou com a ex-cunhada por telefone, por volta das 19 horas. A testemunha mencionou para a polícia que a única queixa feita era que Pinho estaria com pressão alta.

"Achei estranho o forte odor vindo da casa, notei que o cadeado se encontrava aberto, sendo que quando ele saía, ele trancava o cadeado por fora do portão. Quando chegava, trancava por dentro", comentou uma outra testemunha.

Pinho tinha um motociclo da marca Kenton e vizinhos viram o veículo na sexta-feira (1º). A Polícia Civil divulgou que a motinha não estava mais na casa.

Em conversa com investigadores, ninguém que mora na região ouviu barulhos ou viram algo suspeito. O delegado Adilson Stiguivitis Lima registrou a ocorrência como homicídio simples na 1ª Delegacia de Polícia de Dourados. Agora vai ser apurado se a vítima tinha desavenças com alguém. Laudo pericial também vai tentar identificar sangue de outra pessoa que não seja de Pinho.

Leia Também