Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

CONFUSÃO

Detran-MS pagará R$ 8 mil a casal que foi preso por erro em placa

Placa não conferia com número do documento de veículo, em erro da autarquia

13 FEV 19 - 17h:31RAFAEL RIBEIRO

A 2ª Câmara Criminal de Mato Grosso do Sul condenou o Detran-MS ao pagamento de R$ 8 mil como indenização por danos morais a um casal do interior. Segundo consta nos autos, que o casal foi parado em uma blitz policial e, ao checar o documento do veículo, os policiais constataram que a placa não conferia com a numeração do documento apresentado, por isso foram apreendidos, e depois constatou-se que o carro não era adulterado, sendo erro do órgão de trânsito de Anaurilândia.

De acordo com o processo, o casal adquiriu um carro 0 km, modelo Peugeot 207HB, e emplacaram o veículo no Detran de Anaurilândia.

Logo fizeram uma viagem a Bertioga (SP) e, quando voltavam, foram abordados na MS-156 próximo a Itaporã. Ao conferir os documentos, o policial informou que a placa do veículo não era a mesma do documento, assim o casal e a filha deles foram detidos.

Após ligarem para o Detran de Anaurilândia foram informados de que havia um erro no emplacamento do seu veículo e que fora colocada no carro do casal placa de outro, mesmo assim foram conduzidos até a delegacia de Itaporã para prestar esclarecimentos.

O casal ainda teve de ir até a cidade de Dourados para resgatar a placa correta, voltando depois até a Delegacia de Itaporã para serem trocadas pelos funcionários do Detran local na própria delegacia, para somente assim serem liberados.

Levando em conta todos os fatores, o juiz de primeiro grau afirmou ser justa a indenização pelo dano moral sofrido pelos requerentes e fixou a indenização em R$ 8 mil.

O Detran recorreu da sentença e afirmou que o ocorrido não passou de mera confusão, por isso pediu o desprovimento do recurso.

O relator do processo, desembargador Eduardo Machado Rocha, por sua vez, entendeu que é sim dever da apelante indenizar, além disso afirmou ser justo o valor indenizatório.

“Nem mesmo se diga que houve culpa concorrente da vítima, como forma de atenuar a obrigação de indenizar. Isto porque era da autarquia a obrigação de executar adequadamente o serviço de emplacamento de veículo 0 km, serviço este pelo qual foi condignamente remunerada, de modo que a tentativa de atribuir aos autores parcela da culpa por um equívoco cometido por seus funcionários chega a demonstrar uma certa má-fé”, concluiu o relator.

Esse artigo foi útil para você?
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

City tour terá passeios gratuitos durante a Cidade do Natal neste ano
FIM DE ANO

City tour terá passeios gratuitos durante a Cidade do Natal neste ano

Jovem de 14 anos se afoga em piscina do Círculo Militar
SUSTO

Jovem de 14 anos se afoga em piscina do Círculo Militar

Vacina de febre amarela será aplicada em todos os municípios de MS
IMUNIZAÇÃO

Vacina de febre amarela será aplicada em todos os municípios de MS

Minas vence o Praia Clube no tie-break e termina Mundial Feminino de vôlei em 5º
DISPUTA

Minas vence o Praia Clube no tie-break e termina Mundial Feminino de vôlei em 5º

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião