IRMA ZORZI

Detentas vendiam maconha dentro<br> de instituto penal

Entorpecente foi encontrado durante revista nas celas
17/05/2019 16:40 - ALINE OLIVEIRA


 

Dois agentes penitenciários que trabalham no Presídio Feminino Irmã Irma Zorzi encontraram nesta sexta-feira (17), três porções de entorpecente análogo a maconha totalizando 284 gramas, durante revista de rotina em duas celas do estabelecimento. 

O produto pertencia a Talita Regina de Souza, 23 anos, e Isnaira Correa Vaz, 19 anos, que já cumprem pena em regime fechado, porém, não foi informada qual a condenação. 

Diante da constatação, as jovens foram encaminhadas pra a Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário (Depac Centro). 

CÓDIGO PENAL

Se comprovado o tráfico interno de drogas, as jovens podem ser autuadas por reincidência, conforme previsto no artigo 61, inciso I, do Código Penal brasileiro.  

A pena varia entre 5 e 15 anos de reculsão, que deve ser cumprida inicialmente em regime fechado. Em caso de réu primário, o tempo pode ser alterado para cumprimento de dois quintos da pena e no caso de reincidente, três quintos. 

 

 

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".