Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

SEM FIOS

Despoluição visual da Rua 14 de julho termina na próxima semana

Retirada de postes e cabos deve completar a "nova cara" de uma das principais vias do Centro

9 NOV 19 - 12h:00RICARDO CAMPOS JR.

O visual poluído pelo emaranhado de fios velhos ao longo da Rua 14 de Julho já tem data para mudar. A Engepar planeja completar a remoção dos cabos e postes até quarta-feira (13). O procedimento é o ápice do Reviva, que vai renovar a cara de uma das principais vias do Centro da Capital.

A informação foi repassada ao Correio do Estado pelo arquiteto da obra, Amilton Cândido de Oliveira.

O procedimento para remoção dos postes e fios começou no dia 1° de novembro, quando as tubulações subterrâneas foram energizadas. Durante a semana, o que se via ao longo da 14 eram cabos retorcidos jogados no chão à espera de um destino.

Inclusive alguns deles foram dados pelos funcionários da Engepar a dois homens que passavam pelo Centro, conforme flagrado pela equipe de reportagem. A empresa disse que se tratava de fiação telefônica que iria para descarte.

A previsão do município é entregar a via pronta – e já decorada para o Natal – no dia 29 deste mês. Além das calçadas e da rua, já foram instalados os mobiliários e plantadas as árvores que irão ornamentar a via.

Trecho da Rua 14 de Julho já com visual renovado (Foto: Bruno Henrique)

HISTÓRIA EMARANHADA

O Reviva Centro foi lançado pela primeira vez em meados de 2011, na gestão do então prefeito Nelson Trad Filho (PSD). O que se prometia na época era um “shopping a céu aberto”. No ano seguinte, o município mandou os comerciantes removerem os letreiros, placas antigas e chegou até a lançar um padrão de fachadas e toldos.

Essa ideia, chamada de “Cidade Limpa”, expôs ainda mais a cara de velha da 14 de Julho. Além da fiação, paredes com infiltrações e pintura gasta deixaram a via ainda mais feia. O problema se agravou quando a prefeitura, sem dinheiro, suspendeu a execução do projeto e o local acabou ficando permanentemente daquela forma.

Nos anos seguintes, o município foi palco de uma crise política com entra e sai de prefeitos. Alcides Bernal (PP) (eleito em 2012, cassado em 2013 e reempossado em 2015), chegou a tentar recursos para viabilizar o Reviva, mas não conseguiu.

Funcionário da Energisa desativa fiação de alta tensão
 na 14 de Julho (Foto: Bruno Henrique)

O projeto foi andar mesmo na gestão de Marcos Trad (PSD). A ordem de serviço foi assinada em maio de 2018 e os trabalhos começaram efetivamente em junho. Mesmo parado para o movimento do comércio de Natal e Ano Novo passados, a obra continuou dentro do prazo.

A intervenção tem recursos do Banco Interamericano do Desenvolvimento (BID). Inicialmente foi orçada em aproximadamente R$ 58 milhões, mas formalizada em R$ 49.238.506,82. Praticam,ente um terço do valor corresponde ao embutimento da fiação.

Em setembro foi aprovado um aditivo de R$ 11.216.603,21. Com esse montante, a revitalização ficou em torno de R$ 2,2 milhões acima do que havia sido prevista. A justificativa é devido à “decorrência da reprogramação dos quantitativos de serviços inicialmente contratados”.

Segundo o poder municipal, o aditivo foi amplamente analisado pelas equipes de fiscalização da Unidade Gestora do Programa (UGP), Secretaria Municipal de Infraestrutura e Serviços Públicos (SISEP) e Consulgal (supervisão de obras), além de passar pela equipe técnica do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), que emitiu parecer favorável ao processo.

Como justificativas do valor extra, o Executivo também cita alguns pontos que justificam o aditivo, como o arrasamento da profundidade da rede de drenagem, esgotamento sanitário, com a rede inicialmente locada no eixo da via, alterada a execução para duas redes, uma em cada calçada próximo ao alinhamento predial e alteração nos quantitativos em alguns trechos de pavimentação, em função da revisão do projeto de drenagem e da metodologia de execução da sub-base do pavimento mais apropriada para período de chuvas.

Trecho da Rua 14 de Julho que ainda passará pela retirada de fios e postes (Foto: Bruno Henrique)

RECLAMAÇÕES

Sobre os trabalhos para retirada de postes e fios, a Câmara dos Dirigentes Lojistas (CDL) da cidade divulgou uma nota questionando a interdição da via neste sábado (9), quando as pessoas que receberam pagamento no quinto dia útil costumam ir ao Centro para gastar.

A entidade afirma que o cronograma deveria ter sido organizado para que isso não acontecesse e disse ter pedido com antecedência as datas dos trabalhos para que os comerciantes pudessem se organizar.

Esse artigo foi útil para você?
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Nota premiada e Refis do TCE <br> foram aprovados em comissão
ASSEMBLEIA LEGISLATIVA

Nota premiada e Refis do TCE
foram aprovados em comissão

Escola que atende indígenas será fechada para ser sede da Fundesporte
EDUCAÇÃO

Escola que atende indígenas será fechada para ser sede da Fundesporte

Orçamento de R$ 15,8 bilhões é aprovado em primeira votação
LOA 2020

Orçamento de R$ 15,8 bilhões é aprovado em primeira votação

No Cepol, adolescentes infratores não vão se misturar com suspeitos adultos
NOVA 'DEPAC PIRATININGA'

Jovens infratores não vão se misturar com adultos no Cepol

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião