Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

REAJUSTE

Deputados criam comissão para tratar situação de servidores

Parlamentares vão mediar negociação de reajuste salarial

25 ABR 19 - 14h:58YARIMA MECCHI

Uma comissão composta pelos deputados estaduais foi criada às pressas na sessão da Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul desta quinta-feira (25) para conter uma possível paralisação dos servidores. Com o plenário lotado, o integrante do Fórum dos Servidores, Ricardo Bueno, usou a tribuna protestar sobre a atitude do Executivo de retirar o abono de R$ 200 de cerca de 30 mil servidores. 

Durante o seu discurso, Bueno declarou que caso não fosse criada uma comissão para negociação entre a administração estadual e os servidores, os manifestantes não iriam sair da casa de leis e na terça-feira (30) iriam para a frente da governadoria, assim como a ALMS, localizada no Parque dos Poderes. 

Na tentativa de evitar uma paralisação, os deputados votaram em plenário os integrantes da reunião e em menos de 20 minutos estava criada. Vão participar da frente de negociação os deputados Lídio Lopes (Patriotas), Cabo Almi (PT), Gerson Claro (PP), Capitão Contar (PSL), Rinaldo Modesto (PSDB) e o líder do governo Barbosinha (DEM). 
 
Após a sessão os deputados se reuniram com a comissão que representa o Fórum dos Servidores e ficou definido que na tarde desta quinta-feira os parlamentares iam tentar uma agenda no Governo do Estado para tentar ampliar por dois meses o pagamento do abono salarial que foi extinguido no dia 31 de março deste ano conforme a lei 5.173 de 2018. 
 
“Ficou definido que até segunda-feira tem um retorno. Se não tiver uma solução dessa situação do abono na terça-feira iremos para frente da governadoria. Os deputados fizeram uma proposta que seria a garantia do diálogo. Ele vão verificar a possibilidade de incorporação ou a extinção do abono. A proposta é a manutenção por dois meses para que discuta a manutenção ou não”, declarou André Santiago, integrante da comissão e presidente do Sindicato dos Agentes Penitenciários.

Também fazem parte da comissão dos servidores o presidente do Sindicato dos Policiais Civis de Mato Grosso do Sul, Giancarlo Miranda; o subtenente Ramos, diretor de relações institucionais da Associação dos Militares Estaduais; Jacilene Ferreira, representando o Sindicato dos Servidores de Apoio à Administração Fazendária do MS; Wilds Ovando representando a Federação dos Trabalhadores em Educação de Mato Grosso do Sul e o presidente do Sindicato dos Trabalhos em Seguridade Social, Ricardo Bueno.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

MPT recorre à Justiça para que Santa Casa pague salários atrasados
TUTELA DE URGÊNCIA

MPT recorre à Justiça para que Santa Casa pague salários

Em perseguição, veículo capota e PM apreende uma tonelada de maconha
ANTÔNIO JOÃO

Veículo capota e PM apreende uma tonelada de maconha

Evento oferecerá renegociação de dívidas, cursos e exames gratuitos
CAMPO GRANDE

Evento terá renegociação, cursos e exames gratuitos

Abrasel pressiona e <br> votação sobre canudos é adiada
PEDIU VISTAS

Abrasel pressiona e votação sobre canudos é adiada

Mais Lidas