LEVARAM O PÓ

Delegado afastado é preso por furto de cocaína em DP

Eder Oliveira Moraes era titular da unidade onde ocorreu crime
24/06/2019 09:39 - RAFAEL RIBEIRO


 

A Corregedoria da Polícia Civil de Mato Grosso do Sul anunciou na manhã desta segunda-feira (24) a prisão do ex-delegado titular do 1º DP de Aquidauana, Eder Oliveira Moraes, acusado de envolvimento no furto de 100 quilos de cocaína de dentro da unidade policial dirigida por ele, em caso ocorrido no último dia 10.

Por meio de sua assessoria, a Polícia Civil não forneceu mais informações. O delegado deverá ser apresentado oficialmente nesta tarde, durante entrevista coletiva à imprensa.

O Correio do Estado apurou que a prisão aconteceu em parte de uma operação desencandeada por unidades de elite da Polícia Civil na cidade, que acabou apreendendo veículos que possivelmente tenham sido comprado com o dinheiro obtido com a venda da droga. Pelo menos outros dois policiais também estão detidos.

Uma semana depois do caso vir à tona, a Secretaria de Estado da Justiça e Segurança Pública anunciou a transferência de Moraes para a delegacia de Selvíria.

O CASO

Nove pessoas, sendo duas mulheres e sete homens, foram presos no último dia 18 por suspeita de envolvimento com o furto de 100 quilos de cocaína que estavam apreendidos na 1ª Delegacia de Polícia Civil de Aquidauana. O furto ocorreu no dia 10 de junho e a investigação, a cargo da Corregedoria, segue sob sigilo.

De acordo com informações da assessoria de imprensa da Polícia Civil, uma das mulheres presas é advogada, que teria passado informações para traficantes cometerem o crime.

Além dos presos, a outra mulher conseguiu prisão domiciliar e deve permanecer em Aquidauana, enquanto os outros foram transferidos para Campo Grande e devem, inicialmente, ficar na Delegacia Especializada de Repressão a Roubo a Bancos, Assaltos e Sequestros (Garras).

No Diário Oficial do Estado de segunda-feira (17), Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública anunciou a transferência dos dois principais delegados da cidade. Delegado-geral responsável pela região, Evandro Luiz Banheti Corredato, assumirá a mesma função em Campo Grande, enquanto o titular do 1º DP, Eder Oliveira Moraes, atuará agora em Selvíria. Seu lugar será ocupado pelo até então adjunto, Wilkson Vasco Francisco Lima.

Oficialmente, a Sejusp não confirmou se as transferências estariam efetivamente ligadas ao furto da droga, mas o Correio do Estado apurou que teria sido um pedido da Corregedoria da Polícia Civil.

No dia 10 de junho, 100 quilos de cocaína que estavam apreendidos dentro do 1º DP de Aquidauana foram furtados. Segundo a Polícia Civil, o furto ocorreu por meio da escalada do muro da delegacia e arrombamento de uma janela do local.

No último dia 20, um homem de 24 anos, advogado de um dos nove detidos foi preso em flagrante pela Polícia Federal Rodoviária  na tarde de quarta-feira (19) em uma caminhonete roubada, onde estava com a mãe e a namorada.

Segundo a corporação, a abordagem ao advogado aconteceu na região de Dois Irmãos do Buriti, quando ele seguia em direção a Aquidauna, durante fiscalização de rotina por conta do feriado prolongado.

Ainda de acordo com a PRF, durante a abordagem ele deu versões controversas sobre o veículo e os policiais constataram adulterações no chassi e na placa do carro. 

A Fiat Toro, na verdade, havia sido roubada há cerca de um mês no Rio de Janeiro (RJ). O advogado não explicou como conseguiu o veículo e acabou preso em flagrante por receptação e adulteração de sinal identificador.

Na delegacia de Dois Irmãos de Buriti, a suspeita é que o delegado tenha recebido o veículo como parte de pagamento dos clientes.  

Foi sua prisão que teria desencandeado a operação desta manhã na Corregedoria.

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".