Campo Grande - MS, sexta, 17 de agosto de 2018

Itamara

Defesa se atém à carreira
exemplar para manter cargo

Conselho de Justificação julga se ela deve ser mantida, afastada ou excluída

19 OUT 2017Por RENAN NUCCI10h:40

A tenente-coronel Itamara Romeiro Nogueira, de 40 anos, é julgada pelo Conselho de Justificação de Polícia Militar pelo homicídio do marido, Valdeni Lopes Nogueira, 47, também militar, ocorrido no ano passado. A defesa se atém à carreira exemplar da policial para que ela seja mantida no efetivo da corporação.

O procedimento administrativo instaurado pela Corregedoria-Geral avalia se Itamara tem condições "morais" de permanecer no cargo. Ou seja, ela é investigada por suspeita de macular a honra pessoal, o pundonor policial militar e agir com desleixo na função. Na semana passada, ocorreu a primeira de uma série de audiências com os oficiais corregedores.

De acordo com o advogado José Rodrigues da Rosa, a defesa sustenta que Itamara teve carreira exemplar, sem precedentes de indisciplina ou violência, não agiu durante serviço porque estava de férias e, além disso, reagiu em legítima defesa ante a um fato isolado, apesar de resultar em morte. "Ela nunca esteve envolvida em outro caso do tipo, mas agiu em legítima defesa, como já destacamos no processo criminal", disse.

Conforme o protocolo, a defesa e as testemunhas arroladas já foram encaminhadas à Corregedoria, restando a análise dos documentos e o agendamento da próxima audiência. Atualmente a tenente-coronel está lotada como agente de ordem no Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul. Conforme o Conselho de Justificação, ela pode ser mantida, afastada ou até mesmo excluída. Mas tudo depende de análise minuciosa dos autos.

O caso

No dia 12 de julho do ano passado, Itamara e Valdeni discutiram na casa onde moravam no Bairro Santo Antônio. À época, a policial alegou que, após ser agredida e ameaçada de morte, reagiu mais rápido e atirou duas vezes no marido antes que ele pegasse a arma dele para matá-la. Itamara chegou a ser presa, mas responde pelo crime em liberdade.Valdeni foi socorrido, mas morreu na Santa Casa. Além do inquérito criminal junto à Polícia Civil, também responde a outros dois perante a PM.

Leia Também