Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Antivírus

Defesa de Gerson Claro pedirá
anulação de operação do Gaeco

Ex-diretor do Detran também era 'secretário especial', cargo pouco conhecido

5 SET 17 - 05h:00DA REDAÇÃO

O advogado André Borges, defensor do ex-diretor do Departamento Estadual de Trânsito (Detran-MS) Gerson Claro Dino, pedirá hoje a anulação da Operação Antivírus, desencadeada pelo Grupo de Apoio Especial no Combate ao Crime Organizado (Gaeco) na semana passada.

Manobra da administração estadual, em 2015, deu a Claro, além da diretoria do Detran, o cargo de “secretário especial”, na Secretaria de Estado de Governo e Gestão Estratégica (Segov), posição que lhe garante foro privilegiado (o direito de ser julgado em instância superior). 

“Ele deveria ser investigado somente com autorização do Tribunal de Justiça”, afirmou Borges.

O advogado informou que direcionará o pedido de anulação a várias autoridades: o juiz José Mário Esbalqueiro Júnior, que mandou prender Claro preventivamente na semana passada; ao desembargador Luiz Cláudio Bonassini, relator da Operação Antivírus; ao procurador-geral de Justiça, Paulo Passos; e também aos promotores do Gaeco.

*Leia reportagem, de Eduardo Miranda, na edição de hoje do jornal Correio do Estado.

 

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Motorista é preso com 56 quilos de cocaína no painel de caminhonete
TRÁFICO DE DROGAS

Motorista é preso com 56 kg de cocaína em caminhonete

BRASIL

Relatório do Vaticano para encontro de bispos cogita padres casados na Amazônia

AJUDA FINANCEIRA

Governador decide amanhã se vai aderir ao plano Mansueto

Reunião com equipe já está marcada
BRASIL

PF destrói 1,2 mil tonelada de maconha na fronteira com o Paraguai

Mais Lidas