Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, domingo, 18 de novembro de 2018

Antivírus

Defesa de Gerson Claro pedirá
anulação de operação do Gaeco

Ex-diretor do Detran também era 'secretário especial', cargo pouco conhecido

5 SET 2017Por DA REDAÇÃO05h:00

O advogado André Borges, defensor do ex-diretor do Departamento Estadual de Trânsito (Detran-MS) Gerson Claro Dino, pedirá hoje a anulação da Operação Antivírus, desencadeada pelo Grupo de Apoio Especial no Combate ao Crime Organizado (Gaeco) na semana passada.

Manobra da administração estadual, em 2015, deu a Claro, além da diretoria do Detran, o cargo de “secretário especial”, na Secretaria de Estado de Governo e Gestão Estratégica (Segov), posição que lhe garante foro privilegiado (o direito de ser julgado em instância superior). 

“Ele deveria ser investigado somente com autorização do Tribunal de Justiça”, afirmou Borges.

O advogado informou que direcionará o pedido de anulação a várias autoridades: o juiz José Mário Esbalqueiro Júnior, que mandou prender Claro preventivamente na semana passada; ao desembargador Luiz Cláudio Bonassini, relator da Operação Antivírus; ao procurador-geral de Justiça, Paulo Passos; e também aos promotores do Gaeco.

*Leia reportagem, de Eduardo Miranda, na edição de hoje do jornal Correio do Estado.

 

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também