Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Assine a Newsletter

PESQUISA

De todos os roubos registrados em Campo Grande, quase 70% são de celulares

Sejusp assinou convênio com Anatel para acelerar bloqueio dos aparelhos

6 SET 17 - 11h:40MARESSA MENDONÇA E RENAN NUCCI

Entre janeiro e agosto deste ano foram registrados 3.167 boletins de ocorrência de roubo de celulares em Campo Grande. O número representa 68,71% do total de registros do tipo na cidade. Dados fazem parte de levantamento divulgado hoje pelo núcleo de estatísticas e análise criminal da Secretaria de Justiça e Segurança Pública (Sejusp).

Conforme a pesquisa, do início do ano até o mês passado 4.817 celulares foram roubados e outros 4.542 furtados em todo o Estado, confirmando que os telefones móveis são um dos principais alvos dos criminosos.

“Anteriormente os furtos eram em residências e os objetos de desejo dos ladrões da década de 90 eram os aparelhos de videocassete, anteriormente os televisores, depois os DVDs e agora o objeto de desejo é o aparelho celular em razão do valor agregado”, detalhou o delegado geral da Polícia Civil de Mato Grosso do Sul, Marcelo Vargas Lopes.

Vargas disse que o interesse dos ladrões pelos celulares está relacionado principalmente ao valor. “Hoje você compra um televisor por R$ 900, mas você tem aparelhos de telefone celular com preço superior a R$ 3 mil. No mercado paralelo eles conseguem colocar esses aparelhos por R$ 800”, finalizou.

REPRESSÃO

Em uma tentativa de inibir este tipo de ação no Estado, um convênio foi firmado, nesta quarta-feira (6), entre a Sejusp e a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) para dar celeridade ao bloqueio de aparelhos roubados ou furtados.

A diferença é que, a partir de agora, o proprietário do celular liga direto na operadora e consegue o bloqueio imediato do celular, mesmo sem ter em mãos o número de série do aparelho, por exemplo.

O titular da Sejusp, José Carlos Barbosa explicou que “os estados da federação estão buscando alternativas” para lidar também com o bloqueio de celulares dentro de unidades prisionais. “Acreditamos que essa responsabilidade deve ser atribuída às operadoras”, disse.

O secretário pontuou ainda que “aqui em Mato Grosso do Sul nós temos alguma solução que não impede totalmente a utilização de celulares, mas estamos analisando também a possibilidade de locação de equipamentos até que tenhamos uma legislação nacional disciplinando esse assunto”, finalizou.

Esse artigo foi útil para você?
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

OAB recomenda que Assembleia siga trâmite da PEC da reforma da Previdência
MATO GROSSO DO SUL

OAB recomenda que Alems siga trâmite da reforma da Previdência

Homem morre após ser atropelado e motorista foge em cidade de MS
INTERIOR

Homem morre após ser atropelado e motorista foge

De 79 municípios de MS, 74 enfrentam epidemia de dengue
BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO

De 79 municípios de MS, 74 enfrentam epidemia de dengue

Mega-Sena pode pagar hoje R$ 31 milhões
LOTERIA

Mega-Sena pode pagar hoje R$ 31 milhões

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião