Quarta, 13 de Dezembro de 2017

tempo integral

Culinária vira aula para alunos
conhecerem economia e história

Projeto foi desenvolvido na Escola Estadual Maria Constança

6 DEZ 2017Por DA REDAÇÃO20h:34

Cozinhar pode não ser para qualquer um, mas estudantes da Escola Estadual Maria Constança Barros Machado, no Centro de Campo Grande, decidiram que era preciso aprender. Por isso foi incluído na lista de disciplinas opcionais da unidade aulas de culinária. O colégio é um dos doze do Estado que tem oferecido ensino diversificado para complementar a grade curricular de tempo integral.

Entre os estudantes, as aulas têm feito sucesso tanto entre os que pretendem ser profissionais da Gastronomia quanto os que tem aprendido a se virar na cozinha. “Está sendo maravilhoso conhecer profissionais da gastronomia e ter essa oportunidade de aprender, não só para hoje, mas para levar para vida toda, afinal, todo mundo precisa saber cozinhar”, disse a estudante Giovanna Verão.

O projeto foi denominado “Mãos na Massa” e tem aula semanalmente. Entre o material estudado está a história regional do prato que será preparado. A turma formada por 25 estudantes do ensino médio é subdividida em duas categorias: cozinha regional e da vó.

Na primeira, um chef convidado leva uma receita presente na cultura sul-mato-grossense, como a paçoca pantaneira e a sopa paraguaia. Pela cozinha da escola, já passaram chefs como Edu Rejala, Dedê Cesco, Delapa e Telma Anes.

“A culinária nos permite viajar por diversas nações, aprendendo um pouco de matemática, história, geografia, química, física, biologia e nutrição”, destacou a professora de Física, tutora do projeto, Ellen Regina Barbosa.

Na cozinha da vó, as aulas se assemelham às disciplinas de economia doméstica. O objetivo é ensinar os estudantes a prepararem seu próprio alimento, de forma saudável, sabendo lidar com determinado orçamento e evitando desperdícios.

“Queremos formar protagonistas capazes de compreender que a culinária é uma área do conhecimento que envolve saberes científico e artístico”, detalhou a professora.

No caso do Maria Constança, as receitas são caseiras e afetivas, como pão de leite, cueca virada, bolo de chocolate e torta de frango e incluem dicas de preparo para que eles aprendam a reproduzir em seu dia-a-dia. Na comemoração dos 63 anos da escola, foram os alunos que prepararam o cardápio da festa.

Para o encerramento do projeto, a escola pretende lançar um e-book, no final deste ano, com a participação do fotógrafo Vinícius Aurélio, padrinho do projeto ao lado da chef Dedê Cesco, e que tem retratado os pratos produzidos pelos estudantes.

Leia Também