Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

SOLIDARIEDADE

Cruz Vermelha receberá doação de roupas e sapatos de universidade

Campanha segue até 31 de agosto
13/07/2019 18:30 - ALINE OLIVEIRA


 

A Cruz Vermelha Brasileira firmou parceria com a universidade Uniderp, em Campo Grande, para receber doações entregues em campanha da instituição de ensino. Roupas, sapatos, casacos e agasalhos podem ser entregues até 31 de agosto, nas unidades Matriz (Avenida Ceará) e Agrárias.

Há necessidade de roupas para adultos e crianças, em bom estado de conservação. As contribuições serão distribuídas pela Cruz Vermelha para instituições de caridade da Capital e outros municípios do Estado.

A campanha é feita por todas unidades do grupo Kroton, no período de inverno, e no caso de Mato Grosso do Sul, a Uniderp decidiu firmar a parceria, a fim de ampliar a arrecadação e distribuição.

"Convidamos toda a população de Campo Grande para contribuir com a campanha e ajudar as pessoas que, muitas vezes, estão invisíveis para a sociedade. A responsabilidade social é um pilar da nossa universidade, por isso, buscamos desenvolver iniciativas que beneficiem à comunidade e estimulem a cidadania entre a comunidade acadêmica", afirma o reitor da Uniderp, Taner Alves Bitencourt.

Todos os colaboradores também poderão participar. O objetivo é fomentar a solidariedade entre as pessoas, estimulando, principalmente, o ato de doar e da coletividade, mostrando que a participação de todos é essencial para o sucesso da campanha.

SERVIÇO

Endereços: Unidade Matriz – Avenida Ceará, 333.

Unidade Agrárias – Alexandre Herculano, 1.400.

Horários: das 8h às 19h até 30 de julho.

Das 8h às 21h a partir de 31 de julho.

Data: doações até 31 de agosto

Felpuda


Dez vereadores da Capital mudaram de partido na tentativa de encarar a reeleição ou, dependendo do caso, disputar a vaga de vice-prefeito. Legendas foram “engordadas”, outras entraram em estado de inanição e outras ainda simplesmente sumiram do mapa. Que ninguém ouse perguntar a quem “trocou de camisa” qual a linha programática dos partidos em que agora estão filiados. Seria para eles, digamos, questão de pouca importância. Política tem dessas coisas...