Sábado, 26 de Maio de 2018

homenagem ao ciganos

Mocidade conquista o título
do Carnaval de Corumbá

Em segundo lugar ficou A Pesada, seguida por Caprichosos

14 FEV 2018Por RODOLFO CESAR, COM ASSESSORIA19h:20

A escola de samba Mocidade Independente da Nova Corumbá conquistou o título deste ano, depois de apuração feita na tarde de quinta-feira (14). Em segundo lugar ficou A Pesada, seguida por Caprichosos de Corumbá. O resultado final foi divulgado pela assessoria de imprensa da prefeitura local.

As agremiações se apresentaram entre as noites de sábado (10) e terça-feira (13) na Passarela do Samba, na Avenida General Rondon.

No ano passado, Mocidade Independente da Nova Corumbá foi vice-campeã do grupo especial. Para conquistar o título, a agremiação teve o enredo "Optchá, sob um céu de estrelas, a sorte da Mocidade" e homenageou o povo cigano e exaltou Santa Sara Khali, padroeira dos ciganos.

A Comissão de Frente representou “A Caravana da Alegria Chegou!”, com a presença de 10 bailarinos divididos em cinco casais e coreografados por Edelton Mendes.

Na primeira ala, a escola lembrou que a história do povo Cigano começou com o seu expurgo do sudoeste da Índia, onde, sem ter como sediar sua gente, passaram peregrinar de canto em canto. O carro abre-alas remeteu à A cidade de Sind, berço dos cidadãos sem pátria. Com alusão à arquitetura indiana, retratou um palácio da Índia com toda sua suntuosidade e a cor branca que caracteriza este tipo de obra.

A bateria “Devotos Ciganos”, comandada pelo mestre Diego Rojas, representou a história de Santa Sara Khali e de como nasceu a figura da padroeira do povo Cigano. Alas com passistas apresentou Devotas Ciganas; Os Calons e Cristais à Venda. Segundo carro mostrou o Altar de Santa Sara e o Êxodo ao Brasil, que encenou a fé que acompanha o povo cigano em suas andanças.

A ala das Baianas da Mocidade veio com fantasia ‘A madame da Bola de Cristal’, numa referência a uma das figuras mais emblemáticas do povo cigano, a senhora que lê o futuro e os pensamentos das pessoas através de sua bola de cristal.

Terceiro carro, Festa Cigana, trouxe uma das características mais claras dos ciganos que aportaram no país. A alegria com que tratam as pessoas e quando criam vínculos com as pessoas costuma celebrar esses momentos com festas de muita musicalidade e danças.

A Cultura Afro-Brasileira – A Cigana do Oriente, foi o tema do último carro alegórico que encerrou desfile retratando o resultado da miscelânea de culturas dos povos ciganos e o seu acolhimento no Brasil.

FICHA TÉCNICA DA ESCOLA CAMPEÃ

Presidente: Fernanda Vanucci

Vice-Presidente: Jefferson Valério (Vavá)

Tesoureiro: Inocente Cândido

Fundação: 22 de Junho de 1999

Cores: Verde, Branco e Vermelho;

Enredo: Optchá, sob um céu de estrelas, a sorte da Mocidade

Total de alas (incluindo: passistas, bateria e baianas): 15

Número de Alegorias: 04

Componentes: 800

Carnavalesco: Comissão De Carnaval (Ricardo Vilalva, Chico Pinheiro e Fernanda Vanucci)

Autores do Samba Enredo: Victor Raphael, Ailson Renan, Edu Chagas, Guga Martins e Reinaldo Bah

Diretor Geral de Carnaval: Maria Lucia Calabria (Morocha)

Diretor de Harmonia: Zé Maria, Rogerio Cesar, Areco, Jobson Bispo

Intérprete Oficial: Edu Chagas

Intérpretes Auxiliares: Braguinha, Hiltinho, Evandro

Músicos: Cavaco: Xandão Do Cavaco e Marcão da Ave Maria

Violão: William

Diretor Geral de Bateria: Robertão

Mestre de Bateria: Diego Rojas

Total de componentes: 120

Mestre Sala e Porta Bandeira: Edélton Mendes e Valessa

Coreografo da Comissão de Frente: Edelton

Costureiras: Nildes, Juceli, Iara e Enilda

 
  • Foto: Clovis Neto/PMC
  • Foto: Clovis Neto/PMC
  • Foto: Clovis Neto/PMC
  • Foto: Gisele Ribeiro/PMC
  • Foto: Renê Marcio Carneiro/PMC
  • Foto: Renê Marcio Carneiro/PMC
  • Foto: Clovis Neto/PMC
  • Foto: Clovis Neto/PMC
  • Foto: Clovis Neto/PMC
  • Foto: Clovis Neto/PMC

Leia Também