Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

ANGELUS

“Vamos responder com a pandemia da oração, da compaixão e da ternura”, diz Papa sobre o combate ao novo coronavírus

Papa Francisco conclamou toda a população a se unir para rezar o Pai Nosso na próxima quarta-feira
22/03/2020 10:33 - Eduardo Miranda


Na oração do Angelus deste domingo (22), o Papa Francisco disse aos fiéis católicos e a toda a população mundial que a pandemia do novo coronavírus será respondida com a “pandemia da oração”. “Nós queremos responder à pandemia do novo coronavírus com a pandemia da oração, da compaixão e da ternura. Vamos permanecer unidos!”, conclamou o Papa.  

O tema do Angelus deste domingo foi “Luz sobre às trevas”. “Cada um de nós é chamado a colher a luz divina a fim de manifestá-la em nossa própria vida”, lembrou o líder da Igreja Católica e chefe do Estado do Vaticano.  

Também durante o Angelus, o Papa Francisco propôs que todos os cristãos se unam para rezar a oração do Pai Nosso na próxima quarta-feira (25), ao meio dia, como resposta à pandemia do vírus.  

Na próxima sexta-feira (27), o líder da Igreja Católica promoverá, de forma extraordinária, também por causa da epidemia, a benção Urbi et Orbi (à cidade e ao mundo), às 18h de Roma (13hMS e 14h Brasília).  A benção só é proferida na Páscoa e no Natal.  

“Vamos demonstrar nossa proximidade aos médicos, agentes de saúde, enfermeiros, enfermeiras e voluntários”, disse o Papa, convidando a população a ser solidária aos que estão na linha de frente no combate à epidemia do novo coronavírus. “Nossa proximidade às autoridades que devem tomar medidas duras, mas para o nosso bem. Nossa proximidade aos policiais, aos soldados que estão nas ruas e que procuram manter a ordem”, finalizou Francisco. 

 

Felpuda


Pré-candidato pode estar sendo “fritado” sem ao menos perceber. Redes sociais que têm estreitas ligações com ex-cabecinhas coroadas e que prometeram apoio estão enaltecendo que só certo pré-candidato de outro partido. Quem conhece as ditas figurinhas de, digamos, outros carnavais, acredita que está em curso operação sorrateira para mudar internamente os rumos da futura campanha. Trocando em miúdo: ceder a cabeça de chapa.