Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, terça, 20 de novembro de 2018

quatro nomes

Concorrentes inscritos para lista
tríplice de ouvidor do MPE

Comissão eleitoral deferiu quatro inscrições

19 AGO 2017Por RODOLFO CÉSAR11h:16

Os concorrentes para formar a lista tríplice ao cargo de ouvidor do Ministério Púbico Estadual (MPE) foi divulgada pelo órgão. Estão no pleito André Antônio Camargo Lorenzoni, Helen Neves Dutra da Silva, Luciana do Amaral Rabelo e Silasneiton Gonçalves.

A relação foi divulgada no Diário Oficial do MPE de segunda-feira (21), que já está disponível. O presidente da comissão eleitoral, procurador Sérgio Luiz Morelli, foi quem assinou o aviso de sexta-feira (18).

André Lorenzoni foi promotor em Dourados e atuou em promotoria eleitoral, além de trabalhar na questão dos direitos da criança e do adolescente, inclusive ministrando palestra sobre o tema. Hoje ele ocupa a 3ª Promotoria de Justiça de Campo Grande, que trata de direito de família.

Helen da Silva já respondeu por promotoria especializada em violência doméstica contra a mulher. Ela participou da campanha "Quebre o silêncio", para incentivar o enfrentamento da violênica contra as mulheres. A promotora também respondeu em casos de meio ambiente. Ela é titular da 66ª Promotoria da Capital.

A promotora Luciana do Amaral Rabelo atua na Casa da Mulher Brasileira em casos de violência contra a mulher também. Ela integrou grupo de trabalho da Organização das Nações Unidas (ONU) Mulheres no Brasil por sua atuação em julgamentos feitos no Tribunal do Júri. Ela está lotada na 72ª Promotoria de Campo Grande.

Silasneiton Gonçalves foi empossado procurador de Justiça em fevereiro deste ano por critério de antiguidade. Ele foi designado para a 21ª Procuradoria de Justiça Criminal, segunda instância.

A ouvidoria é responsável por servir de canal para receber denúncias da população e dar encaminhamento dentro do órgão. O atual ouvidor é o procurador Olavo Monteiro Mascarenhas.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também