Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, segunda, 21 de janeiro de 2019

EFICÁCIA

Com três mortes por dengue, Três Lagoas
é alvo de investigação

MPE vai apurar os métodos de combate a possíveis focos de mosquito Aedes aegypti

13 JAN 2019Por TAINÁ JARA10h:48

Município com três óbitos registrados em 2018 por dengue, Três Lagoas, distante 339 quilômetros de Campo Grande, é alvo de investigação do Ministério Público Estadual (MPE). O inquérito aberto pela promotora Ana Cristina Carneiro Dias vai apurar a eficácia dos mecanismos da prefeitura para o combate a possíveis focos de mosquito Aedes aegypti, transmissor da doença.

De acordo com o último boletim epidemiológico divulgado pela Secretaria Estadual de Saúde (SES), a cidade foi a maior do estado em número de notificações por dengue até o dia 10 de janeiro de 2019. Foram 5.186 registros. A incidência foi de 4.730,3, portanto, acima de 300 casos por 100 mil habitantes. 

A capital é a segunda cidade com maior número de notificações da doença. Foram 2.344 durante os últimos doze meses. No entanto, a incidência, 281,6, é considerada média. A segunda maior cidade em incidência da doença, foi Costa Rica com 844,2.

Foi em Três Lagoas que ocorreram três dos quatro óbitos por dengue registrados em 2018. O quarto ocorreu no município de Brasilândia, distante 352 quilômetros da Capital.

O número de casos de dengue notificados no estado a partir de 1º de janeiro do ano passado até agora foi de 9.631. Os registros são maiores do que em 2017, quando a SES foi notificada de 2.201 casos. Em 2016, o casos chegaram a 59.874 no estado. 

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também