DOURADOS

Com exames atrasados, município pode receber multa de R$ 10 mil por dia

Decisão do Ministério Público Estadual pede que reativação dos serviços seja imediata
19/01/2020 17:27 - NAIANE MESQUITA


O Ministério Público de Mato Grosso do Sul exigiu a reativação dos serviços médicos de diagnósticos em exames de ressonância magnética em Dourados, sob pena de multa diária de R$ 10 mil por dia e bloqueio de verbas públicas.

Na ação, o Promotor de Justiça Etéocles Brito Mendonça Dias Júnior, pede ainda que, enquanto não concretizada a reativação dos serviços médicos, o município e o estado promovam o atendimento dos usuários SUS (Sistema Unico de Saúde) que aguardam na fila de ressonância em outras unidades das cidades de Mato Grosso do Sul, como Campo Grande, Três Lagoas e Corumbá ou nos estados de São Paulo e Paraná.

A decisão ainda frisa que os exames atrasados sejam realizados em regime de mutirão, reduzindo a espera pelo exame em no máximo 60 dias.

Falta de prestador de serviço

Em junho de 2018, o município esclareceu que devido a falta de prestadores de serviços não seria possível realizar os exames de ressonância. Contudo, ressalvou que estaria aberto o edital de Chamada Pública para fins de credenciamento e formação de banco de prestadores.

Mesmo com os contratos firmados para a prestação do serviço, o descaso com os pacientes que necessitam do procedimento de ressonância nuclear magnética permaneceu.


 

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".