Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, terça, 11 de dezembro de 2018

INVESTIMENTO

Com emendas ou recursos próprios,
escolas “se ajeitam”

Aparelhos de ar condicionado e câmeras de segurança são adquiridos sem auxílio do governo do Estado

12 OUT 2018Por NATALIA YAHN07h:00

Apenas 95 escolas da Rede Estadual de Ensino (REE), em 42 dos 79 municípios de Mato Grosso do Sul, possuem climatização nas salas de aula, situação que prejudica o dia a dia e atrapalha o rendimento e a concentração dos estudantes. A quantidade representa 25,8% do total de unidades no Estado, que tem 368 escolas e 252 mil alunos, 90 delas em Campo Grande, com 61 mil alunos.

Foram apenas 757 aparelhos adquiridos por meio de emendas parlamentares, entre 2016 e 2017. A Secretaria de Estado de Educação (SED) não tem dados de quantos foram os equipamentos adquiridos por meio de verba própria – utilizando o “caixa extra” – das escolas.

Nas poucas unidades que possuem aparelhos de ar condicionado,a instalação só foi possível, em muitos casos, por meio de atuação da Associação de Pais e Mestres (APM), com realização de atividades, festas e até rifas, a fim de juntar recursos que fossem utilizados nas aquisições dos equipamentos.

Foi assim que a Escola Estadual Silvio Oliveira dos Santos, no Bairro Aero Rancho, que tem 14 salas de aula, 6 laboratórios, 3 salas de tecnologia e outras 4 administrativas, com total de 1.150 alunos garantiu a melhoria na climatização. Na Capital, de acordo com a SED, apenas dez unidades possuem salas com ar-condicionado.
Há dois anos a APM e a direção da escola iniciaram as instalações que até o fim do mês deverá estar concluída. Ainda faltam três salas de aula para receber os aparelhos. 
 “É um grande avanço. Com certeza é maravilhoso para os alunos. O calor é complicado, ainda mais quando se tem um númmero grande de alunos em sala”, disse a presidente da Associação, Giselle Benites. A filha dela, Glaucya, de 12 anos, está no 7° ano e é uma das beneficiadas pelo clima mais ameno em sala de aula.

“Começamos o projeto há dois anos, ainda faltam três salas. Do que foi feito até agora, a Secretaria instalou na parte administrativa e em alguns laboratórios. O restante foi feito com caixa de rifa, pastelada, festa junina”, explicou o diretor da escola, Leandro Colombo Pedrini, que também é presidente do Conselho de Diretores das Escolas Estaduais (Condec).

Pedrini disse ainda a climatização em algumas das escolas só foi possível com recursos de emendas parlamentares, mas a maioria teria recorrido ao caixa extra para garantir as instalações. 

POSIÇÃO
Para mudar o cenário a Secretaria de Estado de Educação iniciou trabalho de adequação, especialmente da rede elétrica, para instalação de aparelhos de ar-condicionado. 

Em nota, a pasta afirmou que “desde 2015 trabalha para que todas as unidades da Rede tenham condições de receber esses equipamentos. O controle das salas com climatização é feito exclusivamente pelas unidades que, até este mês de setembro, já contaram com 214 intervenções para reparos, adequações e modernizações da rede elétrica”.

Apesar de ser prática comum nas escolas, o famoso “caixinha ou caixa extra” não é confirmado pela SED. “A aquisição dos aparelhos ocorre por meio de compra direta – quando a unidade escolar utiliza verba de Emenda Parlamentar para comprar os equipamentos – ou por meio de processo licitatório”. 

Ainda de acordo com a Secretaria, levantamento do ano de 2016 - último informado pela pasta -, confirmou o montante de R$ 3.082.033,55 destinado para a compra de aparelhos de ar-condicionado, em Mato Grosso do Sul, por meio de emendas parlamentares. 

“A SED trabalha para que todas as escolas da REE estejam em plenas condições para receber esses aparelhos, a partir do momento no qual são adquiridos, visando beneficiar os mais de 252 mil estudantes matriculados nas escolas por todo o Estado”.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também