Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, quinta, 15 de novembro de 2018

SAÚDE PÚBLICA

Com dois postos de saúde, moradores do Nova Lima e Anache estão sem médicos

Unidades São Francisco e Vida Nova III atendem 10 mil usuários

9 NOV 2018Por ALINE OLIVEIRA17h:17

A população dos bairros Nova Lima e Jardim Anache atendidas pelos Programas de Saúde da Família (PSF) Aquino Dias Bezerra e São Francisco estão com dificuldades para conseguir agendamento de consultas médicas. 

Isso porque as unidades que deveriam funcionar com quatro médicos estão com apenas um profissional no PSF do Nova Lima, enquanto que na unidade do Vida Nova III há pelo menos três meses não é possível ser atendido. 

A denúncia foi encaminhada ao Correio do Estado pelo líder comunitário e morador do Jardim Anache, José Ferreira Rocha Neto (Zé do Anache). Morador há 25 anos na região, ele conta que teve problemas de saúde e teve que procurar auxílio do outro lado da cidade. 

"Graças a Deus eu tinha dinheiro para pagar uma consulta particular no Hospital Evangélico, pois, tive problemas sérios com pressão alta. Se dependesse de atendimento aqui na nossa região eu poderia até morrer", desabafa o morador. 

Zé do Anache conta ainda que já encaminhou várias reclamações para administração municipal, desde ofícios para o prefeito, Marcos Trad, até o secretário municipal de Saúde (Sesau), Marcelo Vilela, mas não obteve nenhum retorno. "Minha última esperança foi no início da semana (6 de novembro) quando ao ir novamente na Sesau pedir ajuda, me encaminharam para a Ouvidoria. Lá formalizei a reclamação do problema que estamos enfrentando", relata.

CONTEXTUALIZAÇÃO

A região do Nova Lima é a segunda mais populosa de Campo Grande, composta por 10 bairros e soma uma população de 35,5 mil habitantes, de acordo com o último censo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 

O morador do Jardim Anache, Rosaldo da Conceição, tem uma filha cadeirante e conta que peregrinou por três dias em busca de atendimento e não obteve retorno.

"É uma situação desesperadora para um pai ter que ir de um lugar para outro e não conseguir uma consulta. Na terça-feira (6) cheguei no PSF do Nova Lima às 5h da manhã e a atendente disse que a única médica que atendia estava de licença e não tinha quem a substituisse. De lá fui para a Clínica da Família do Nova Lima e me disseram que como moro no Jardim Anache não poderia marcar consulta no local", desabafa. 

José Ramirez é morador no Jardim Columbia e representante da comunidade no Conselho de Saúde Local. Ele conta que os moradores estão indignados e as lideranças devem concluir ainda hoje (9) uma carta aberta detalhando os problemas com a saúde pública na região. 

"Os servidores que atuam nos PSF são solícitos e tem boa vontade, mas, não tem condições de trabalhar porque não tem equipamento e profissionais suficientes. No início da semana, a situação estava tão tensa, que testemunhamos vários desentendimentos em razão da falta de médico", explica.

De acordo com o representante, para piorar ainda mais a situação, o PSF do Nova Lima não está oferecendo atendimento na farmácia e na sala de Odontologia. "Foram identificadas infestação de morcegos e fezes de rato e tiveram que interditar a sala do dentista. Nossa região pede socorro ao poder público, porque não adianta ter o prédio se não há pessoas para faze-lo funcionar", finaliza. 

NOTA RETORNO

Em resposta aos questionamentos do jornal, a Sesau forneceu a seguinte resposta:

As unidades UBSF São Francisco e UBSF Vida Nova, que atendem o bairro Anache, estão com previsão de receberem médicos convocados recentemente pela SESAU, para suprir a demanda por esses profissionais na próxima semana. 

O atual déficit ocorre devido a diversos fatores, dentre eles o desinteresse dos profissionais (médicos) em renovarem o contrato, mesmo com o interesse por parte da Secretaria. 

A Clínica da Família UBSF Nova Lima está com o seu quadro de profissionais completo e pode atender as necessidades dos pacientes do Anache, até que os novos médicos assumam as funções nas unidades. 

 

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também