Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

CONSELHOS TUTELARES

Com dobro do esperado, eleição para conselheiros tutelares é marcada por confusão

Eleitores enfrentaram longas filas e não tiveram preferência

6 OUT 19 - 17h:59ADRIEL MATTOS

A eleição para os Conselhos Tutelares de Campo Grande neste domingo (6) foi marcada pela confusão. Denúncias e dificuldades para votar foram as principais reclamações. Mesmo com o voto facultativo, cerca de 30 mil eleitores compareceram às urnas, segundo a Comissão Eleitoral, o dobro do esperado. O Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MS) ajudou no processo fornecendo as urnas de lona para a votação.

“O que dificultou foi não termos mais seções abertas para a votação. Esperamos que no futuro, o TRE faça o processo com todas as seções e com urnas eletrônicas”, disse o presidente do Conselho Municipal de Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA), Celso José de Barros.

Eleitores enfrentaram longas filas durante todo o período de votação, que ocorreu das 8h às 17h. Pela manhã os primeiros problemas começaram a ser registrados. Diversas pessoas afirmam que os locais de votação previstos no edital não estavam abertos.

Boca de urna e transporte irregular de eleitores foram as principais queixas. As denúncias serão encaminhadas ao Ministério Público do Estado de Mato Grosso do Sul (MPMS). A expectativa é que 15 mil pessoas fossem votar, mas 30 mil compareceram.

À tarde, as longas filas irritaram os eleitores. Na Escola Estadual Arlindo de Sampaio Jorge, nas Moreninhas, região sul da Capital, a reportagem contou cerca de 40 pessoas esperando para votar. Só após a equipe do Correio do Estado chegar, as mesárias chamaram idosos e outras pessoas com prioridade para votar.

O ajudante geral Luiz Carlos Ortiz, de 55 anos, mora no Conjunto Residencial José Maksoud, e acabou indo votar nas Moreninhas. “Fui em outra escola e me mandaram vir aqui [escola Arlindo de Sampaio Jorge]”, disse, reclamando que esperou por quase uma hora na fila. Outras pessoas que chegaram ao local para votar, ao verem a fila, desistiram e foram embora. 

Uma candidata denunciou que a organização falhou ao não se preparar adequadamente. “Não havia nomes das pessoas na lista, sem contar que agruparam várias seções em uma única escola e pessoas tiveram que deslocar muito”, relatou.

Segundo a presidente da comissão, Alessandra Hartmann, esse problema teria sido registrado porque o TRE-MS teria trocado o local de votação dos eleitores sem comunicar as pessoas. A apuração começa nesta segunda-feira (7) e o resultado deve ser divulgado no dia 16 de outubro.

Esse artigo foi útil para você?
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

BRASIL

Envolvimento de agentes de saúde pode acelerar diagnóstico de câncer

BRASIL

Tratamento para doenças raras precisa de investimentos em pesquisa

BRASIL

Motorista embriagado invade lanchonete, atropela 4 e mata jovem

Gaeco pede que juiz mantenha  prisão de policiais ligados a Name
MILÍCIA NA CADEIA

Gaeco pede que juiz mantenha prisão de policiais ligados a Name

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião