Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, domingo, 18 de novembro de 2018

CAPITAL

Com dificuldades, prefeitura e Estado prometem 13º em dia

Somadas, folhas devem injetar R$ 555 bilhões na economia, mas apenas em dezembro

9 NOV 2018Por Yarima Mecchi07h:00

Mesmo em crise e sem saber como deve ser feito o pagamento da folha salarial de dezembro, a Prefeitura de Campo Grande garantiu que vai pagar o décimo terceiro dos servidores em dia, assim como o Governo do Estado de Mato Grosso do Sul, que anunciou o depósito para o dia 20 de dezembro. Juntas, as folhas dos funcionários públicos somam cerca de R$ 555 milhões, sendo cerca de R$ 475 milhões do Executivo estadual e pouco mais de R$ 80 milhões da Capital.

Segundo o secretário de Finanças de Campo Grande, Pedro Pedrossian Neto, o cofre municipal tem R$ 77 milhões garantidos para arcar com o 13º salário, mas ainda é incerto como será feito o depósito salarial em dezembro e também em janeiro.

“Para o 5º dia útil de dezembro, não tem tudo. Vamos encontrar um jeito”, ressaltou de forma positiva, tentando tranquilizar os servidores.

A folha de pagamento do Executivo da Capital oscila entre R$ 90 e R$ 110 milhões, porém, conforme explica Pedrossian, os professores convocados recebem o 13º salário parcelado e incorporado no salário todos os meses, o que faz com que o pagamento reduza para pouco mais de R$ 80 milhões.

“A receita oscila, a despesa às vezes, se acumula, elas têm uma variante e deficit. Mas nós estamos melhor que no ano passado. Ano passado não tinha como pagar e consegui vender a folha por R$ 50 milhões. Hoje, eu tenho uma parcela significativa. Muito longe da normalidade e da calma, mas vai dar tudo certo. Estamos como todo mundo, todos os orçamentos estão em dificuldades”, disse, lembrando da venda da folha dos servidores para o Banco Bradesco.

Segundo Pedrossian, a expectativa para conseguir arcar com os salário é a arrecadação de mais R$ 12 milhões no Refis (Programa de Refinanciamento de Dívidas), que já arrecadou R$ 38 milhões, além dos valores que devem ser pagos com os carnês do IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano) 2019.
Os contribuintes de Campo Grande vão receber na primeira semana de dezembro os 415 mil carnês do IPTU 2019, a estimativa total de receita com o imposto pode superar R$ 250 milhões até o fim de janeiro de 2019. 

“Esse valor do Refis é o que está sendo pago, além do parcelado. Também temos o IPTU que em média arrecada entre R$ 20 e R$ 30 milhões até o último dia do ano. E o IPTU que segue em janeiro e também ajudar com a folha do primeiro mês de 2019”, destacou. 

Pedrossian vem para traquilizar os servidores, já que nesta semana o prefeito, Marcos Trad, criou um alarme ao afirmar que tinha pouco mais de R$ 50 milhões para arca com 13º salário, citando inclusive outro valor total para essa folha extra de pagamento dos servidores.

“Eu tenho um pouquinho do 13º. Tenho em torno de R$ 50 e pouco milhões que eu tenho tirado um pouquinho de cada mês para guardar. Para completar gira em torno de R$ 90 milhões a R$ 110 milhões. E também para dia 5 de janeiro já estar com o pagamento deles. Essa é minha expectativa”, afirmou Trad na quarta-feira.

O prefeito chegou a dizer que o valor arrecadado no Refis era apenas “uma gota no oceano” e que sobrou R$ 127 mil no caixa municipal. 

O secretário de Fazendo do Estado, Guaraci Fontana, ao ser questionado sobre o 13º dos servidores disse apenas que será depositado no dia 20 de dezembro. (Colaborou Bruna Aquino e Eduardo Fregatto). 

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também