Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

COXIM

Com cartazes e rosto pintado, jovens da Igreja Videira alertaram sobre a pedofilia

No dia 4 de dezembro de 2014, o Disque Direitos Humanos – Disque 100, completou 11 anos
10/01/2015 18:45 - EDIÇÃO DE NOTÍCIAS


Um grupo de jovens da Igreja Videira em Coxim chamou a atenção nas ruas da região central do município na manhã deste sábado (10), para os crimes cometidos contra a criança e o adolescente.

Com caras pintadas e cartazes nas mãos, os jovens mostraram cartazes com frases, alertam contra o abuso sexual infantil e a pedofilia.

Com objetivo de conscientizar e a alertar a população, os jovens mostravam os cartazes com frases que diziam “Pedofilia é crime, é pecado”, “Igreja em ação, pedofilia não”, “Pedofilia não, disque 100”. Quem passou pelo local apoiou a atitude dos participantes.

No dia 4 de dezembro de 2014, o Disque Direitos Humanos – Disque 100, completou 11 anos de atividade. O serviço de atendimento telefônico é gratuito, funciona 24 horas por dia nos 7 dias da semana, e é de utilidade pública da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República (SDH/PR), vinculado a Ouvidoria Nacional de Direitos Humanos, destinado a receber demandas relativas a violações de Direitos Humanos, em especial as que atingem populações com vulnerabilidade acrescida, como: Crianças e Adolescentes, Pessoas Idosas, Pessoas com Deficiência, LGBT, Pessoas em Situação de Rua e Outros, como quilombolas, ciganos, índios, pessoas em privação de liberdade.

O abuso e exploração sexual de crianças e adolescentes é crime e a principal ferramenta para o combate é a denúncia.

Felpuda


Apesar de ainda fazer certo charme no estilo “se chamar, vou pensar” é praticamente certo que ex-candidato ao governo do Estado nas eleições passadas não participará da disputa pela Prefeitura de Campo Grande. Nos meios políticos é falado que não se trata de “novidade” e que não haverá mais cavalo encilhado passando na sua frente. Ele ainda insinua que poderá voltar em 2022, mas há quem diga que não precisará pensar, pois faltará a tal da “chamada”.