SAÚDE

Central de Transplantes faz duas captações de órgãos em 24 horas

Rins, córneas e fígados foram levados pela FAB para três destinos
05/08/2019 16:24 - GLAUCEA VACCARI


 

Na última semana, duas captações de órgãos foram feitas em Mato Grosso do Sul. Doadores eram de Dourados e Três Lagoas e os órgãos foram levados pela Força Aérea Brasileira (FAB) para serem transplantados em pacientes de Campo Grande, São Paulo e Distrito Federal.

De acordo com a coordenadora da Central Estadual de Transplantes, Claire Miozzo, as captações ocorreram em 24 horas, sendo quatro rins, dois fígados e duas córneas.

Claire explica que de Dourados foram doados dois rins para São Paulo, um fígado para o Distrito Federal e duas córneas que beneficiaram pacientes de Campo Grande. De Três Lagoas saíram os outros dois rins que foram levados também para São Paulo e um fígado destinado ao Distrito Federal.

O trabalho de captação dos órgãos envolveu equipes do Corpo de Bombeiros de Três Lagoas e Dourados , que fizeram o transporte da amostra de sangue dos doadores até à Capital. Exame de sangue faz parte do procedimento de captação de órgãos, para verificar se há algum tipo de doença que impossibilite a doação.

As equipes da Central de Transplantes foram deslocadas até as cidades do interior do Estado na aeronave utilizada pelo governador em viagens oficiais, que foi cedida pela Casa Militar do Governo do Estado.

Com todos os procedimentos realizados, os órgãos foram levados pela Força Aérea Brasileira (FAB) até os destinos previstos.

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".