Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, quarta, 14 de novembro de 2018

TRÁFICO DE ANIMAIS

Casal é preso e multado em R$ 69 mil
por tráfico de papagaios

Filho deles também foi preso por xingar os policiais

14 SET 2018Por FÁBIO ORUÊ15h:46

Homem, de 57 anos, e sua esposa, de 41 anos, foram presos, na manhã de hoje (14), em Novo Horizonte do Sul, por tráfico de papagaios. Na casa deles foram encontrados 69 filhotes da ave. 

Segundo a Polícia Militar Ambiental (PMA), um acompanhamento de pessoas que já têm passagem por esse crime é feito e o homem tem três em seu nome. Quando os policiais chegaram à residência do traficante, depois de suspeita que ele estaria com as aves, foram recebidos pelo seu filho, de 20 anos, com xingamentos. 

Nesse momento, a esposa do homem tentou fugir pelos fundos com três caixas, onde estavam os animais, mas acabou presa.

Ao ver a mãe detida, o filho continuou a xingando os agentes, e por isso, foi detido também. O traficante não estava no local, porém, foi à delegacia de Polícia Civil de Ivinhema, para onde foram encaminhados seu filho, a esposa e os animais apreendidos, e afirmou que as aves eram suas, sendo preso em seguida.

Marido e esposa, que moram em Ivinhema, foram autuados administrativamente e multados em R$ 34.500 cada um. Eles também responderão por crime ambiental e poderão pegar pena de seis meses a um ano de detenção. As aves estão sendo encaminhadas ao Centro de Reabilitação de Animais Silvestres (CRAS), em Campo Grande.

PERÍODO REPRODUTIVO

O período de agosto a dezembro é preocupante com relação ao tráfico de animais silvestres no Estado, pois é o período reprodutivo dos papagaios que é o animal mais traficado. Nesse período, a PMA mantém trabalhos preventivos nas propriedades rurais para prevenir a retirada dos animais e aliciamentos de funcionários de fazendas e assentados pelos traficantes, para a retirada dos filhotes. Barreiras também são executadas nas saídas para o estado de São Paulo, que é para onde os papagaios retirados têm saído.

De acordo com a PMA, o tráfico de animais silvestres é considerado a terceira atividade criminosa mais rentável, perdendo apenas para o tráfico de drogas e o tráfico de armas. Em Mato Grosso do Sul, o problema se resume quase que especificamente ao papagaio.

Devido a forma de agir dos traficantes, às vezes a PMA não consegue evitar a retirada dos animais e apreende nas operações, quantidades maiores, mas a prioridade é evitar a retirada dos filhotes dos ninhos. Por exemplo: em 2016, 13 filhotes foram apreendidos em uma fazenda, com um funcionário aliciado por traficantes detido em flagrante em retirada dos animais, quando a encomenda feita pelo traficante era de 350 papagaios. O mesmo traficante preso hoje foi detido no ano passado com 34 filhotes de papagaios, três periquitos, um coleirinha e um pintassilgo, quando tinha encomenda para retira 500 filhotes de papagaios. 

A região principal do problema e que é monitorada é basicamente a que constitui os municípios de Jateí, Batayporã, Bataguassu, Ivinhema, Novo Horizonte do Sul, Anaurilândia, Santa Rita do Pardo, Nova Andradina e Brasilândia, além de Naviraí e Mundo Novo. 

No ano de 2017 foram apreendidos 345 filhotes de papagaios.

CASO RECENTE

Como noticiado ontem (13) pelo Correio do Estado, Polícia Militar (PM) resgatou em ação conjunta com a Polícia Militar Ambiemtal (PMA), na noite de terça-feira (11), 47 filhotes de papagaio mantidos em cativeiro, em Nova Alvorada do Sul. O homem que comerciaria as aves não foi encontrado no local, mas seu filho, de 14 anos, mostrou aos agentes o cômodo onde elas estavam.

 
  • Foto: Divulgação / PMA
  • Foto: Divulgação / PMA
  • Foto: Divulgação / PMA
  • Foto: Divulgação / PMA
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também