Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

ESTAMPADORA

Capital ganha quinta autorizada a emitir placa Mercosul

Detran mantém caução e diz que valor não interfere no preço do produto.
20/02/2020 12:40 - Ricardo Campos Jr


 

Campo Grande tem mais uma empresa credenciada para emplacar veículos no padrão Mercosul. A Embrasplak já foi autorizada pelo Departamento de Trânsito (Detran) a executar o serviço, mas segundo o órgão falta apenas o acesso ao sistema que gera a sequência numérica para que ela comece a atuar.

O Correio do Estado conversou com os proprietários e ainda não há preço definido. A sede fica na Avenida das Bandeiras. O prédio estava recebendo os últimos retoques na manhã dessa quarta-feira (19). Os primeiros testes de estampagem já foram feitos e todo o maquinário já está preparado para dar início à produção.

Segundo o Detran, outros seis pedidos de credenciamento estão sob análise. Entre as exigências para entrar no mercado está a caução de R$ 500 mil ou apresentação de seguro, que segundo o órgão custaria em torno de R$ 15 a R$ 20 mil aos empresários.

O diretor-presidente do órgão, Luiz Rocha, defende a medida. “É obrigação do gestor público. Quando eu faço contrato eu preciso me assegurar quanto ao recebimento futuro. É lei. Se outros Detrans não exigiram, eles estão errados”, afirma.

Ele se refere aos valores que as companhias repassam ao Estado pelas placas emitidas, que atualmente é de 0,9 Unidades Fiscais Estaduais de Referência (Uferms), que pela tabela vigente resulta em R$ 26,84.

Rocha afirma ainda que a exigência não fere as normas nacionais. Contudo, a Resolução 780 de 26 de junho de 2019, do Conselho Nacional de Trânsito (Contran), proíbe os Departamentos Estaduais de imporem critérios adicionais para o credenciamento que não estejam previstos na norma, e a caução não está inclusa.

“Isso (caução) não interfere nas portarias do Contran ou Denatran. Uma coisa é uma coisa, outra coisa, é outra coisa. É obrigação do gestor público exigir algum seguro quando faz qualquer contrato”, afirmou ao Correio do Estado.

O diretor-presidente do Detran também discorda que o seguro interfira no preço das placas. “Um seguro desse custa entre R$ 15 e R$ 20 mil. Ele dá proteção ao erário público”, completa.

Quando o novo modelo visual entrou em vigor, no dia 2 de fevereiro, o Estado detinha um dos serviços mais caros do país, que chegava a custar R$ 300 o par de placas. O Procon entrou em cena. Ao pressionar os donos das empresas, já conseguiu baixas significativas nos preços, que em alguns casos chegou a R$ 42.

 

Felpuda


Dois pedidos de desculpas, de autorias diferentes, foram assuntos muito comentados nas redes sociais com críticas ácidas às suas declarações, até porque os envolvidos não só os usaram despropositadamente, como tiveram de voltar a eles para se redimirem. Um deles, inclusive, quase criou uma crise política da-que-las, o que obrigou seu pai, figurinha carimbada, a pular miúdo para colocar panos quentes sobre a questão. Essa gente!...