Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

REVIVA CAMPO GRANDE

Moradores pedem e trabalhadores entregam cabos retirados da 14

Segundo Engepar, cabos eram para descarte e não tem valor

8 NOV 19 - 17h:27FÁBIO ORUÊ E RICARDO CAMPOS JR.

Desde quarta-feira (6) a Energisa - concessionária que fornece energia para Campo Grande - está fazendo a retirada dos postes de fiação elétrica da Rua 14 de Julho, principal via do projeto de revitalização Reviva Campo Grande. Equipe do Correio do Estado flagrou funcionários da empreiteira Engepar, que é responsável pelas obras, permitindo que pessoas levem embora os fios retirados dos postes, que segundo eles alguns ainda energizados.

Conforme flagrado pela reportagem, no cruzamento das ruas 14 de Julho e 15 de Novembro, dois homens pediram os cabos, que podem ser reciclados, pedindo os fios para os funcionários, que alertam os moradores, que não foram identificados, quanto à questão do descarte. Depois, eles levaram os objetos com uma cadeira de rodas. (Confira no vídeo abaixo) 

Correio do Estado apurou junto à Engepar que os fios não são de cobre e sim cabos antigos de telefônicas que não foram retirados quando ficaram sem uso. Por conta disso, durante a retirada dos mesmo, eles não tinha dono e nem utilidade e foram colocados na calçada para descarte. 

Ainda segundo a empresa, os cabos não tem valor algum para venda, compra ou troca e as pessoas que pegaram teriam coagido os funcionários. Na quarta, os trabalhadores da Energisa  concluíram a retirada do primeiro poste da rede de energia elétrica da 14 de Julho, que com a Reviva, passa a ter uma rede subterrânea, com fiação embutida. Os postes retirados serão destruídos com reaproveitamento apenas da ferragem para reciclagem.

Veja momento em que eles pegam os cabos:

ETAPAS 

Na primeira quadra, entre a Avenida Fernando Corrêa da Costa e a Rua 26 de Agosto, serão removidos sete postes. Durante todo o trabalho, o trânsito na quadra fica interditado. Ao longo de toda a extensão da área de intervenção da 14 de Julho do Reviva, até o cruzamento da Avenida Mato Grosso, serão removidos 96 postes e mais de 10 quilômetros de cabos. A previsão é que em uma semana os postes vão desaparecer do cenário da principal rua comercial da Campo Grande.

No trecho entre a Avenida Afonso Pena e a Rua Cândido Mariano, a intervenção será no final de semana, provavelmente no domingo, quando o fluxo de pedestres é bem menor. Todos os consumidores, com exceção de dois edifícios (a Galeria Dona Neta e o Edifício Sadalla), até esta quarta-feira já estão conectados.

A obra do Reviva, segundo a Engepar, está com 97% de conclusão. Drenagem, rede de esgoto, sistema de abastecimento de água, telecomunicação, rede de iluminação pública, infraestrutura para Agetran, segurança e TI, e vistoria técnica estão concluídos.

Ao longo da obra foram mobilizados 470 trabalhadores diretos; mais 120 indiretos;  houve o envolvimento de 178 empresas terceirizadas foram lançados 78 mil metros de cabos; 85 mil metros de dutos, geração de R$ 5,4 milhões de impostos. Ainda falta finalizar o paisagismo, a sinalização viária, a rede elétrica e a pavimentação da pista de rolamento e calçadas.

A inauguração da nova 14 de Julho está marcada para o dia 29 de Novembro, a partir das 18 horas, com decoração natalina e shows especiais. O evento será aberto ao público e seguirá, ao longo do mês, uma programação cultural para quem for às compras neste fim de ano.

*Colaborou Eduardo Miranda 

Esse artigo foi útil para você?
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Suspensão de inscrições para moradias populares é prorrogada
PROGRAMAS HABITACIONAIS

Inscrições para moradias populares seguem suspensas

Após três meses, materiais recicláveis novamente pegam fogo em empresa
VEJA O VÍDEO

Após três meses, materiais recicláveis novamente pegam fogo em empresa

Avó permitia que homem estuprasse neta de 13 anos em troca de dinheiro e carne
ESTUPRO DE VULNERÁVEL

Avó permitia que homem estuprasse neta de 13 anos
em troca de dinheiro e carne

Descontentes, pais e funcionários fazem nova manifestação em escola afetada por fechamentos
EE PROFESSOR CARLOS HENRIQUE SCHRADER

Descontentes, pais fazem nova manifestação em escola afetada por fechamentos

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião