Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, terça, 13 de novembro de 2018

reação

Visitas íntimas suspensas em
penitenciária federal de Campo Grande

Encontros eram usados para fomentar ações criminosas

1 JUL 2017Por DA REDAÇÃO06h:00

Visitas íntimas a detentos dos presídios federais, entre eles o de Campo Grande, vão continuar suspensas por mais 30 dias.

A prorrogação foi determinada pelo Departamento Penitenciário Nacional (Depen). A decisão de suspender os encontros íntimos de presos foi tomada após o assassinato de uma servidora, no dia 25 de maio, e a deflagração da Operação Epístola, pela Polícia Federal, na qual se constatou que o traficante Luiz Fernando da Costa, o Beira-Mar, vinha se utilizando da visita íntima de outros detentos para passar bilhete para fora do presídio.

Com esse mecanismo, ele continuou a administrar uma rede de tráfico de drogas e lavagem de dinheiro.

Conforme o Depen, vinculado ao Ministério da Justiça e Segurança Pública, as visitas sociais só podem ocorrer pelo parlatório, ou seja, sem contato físico entre o detento e o visitante, ou por meio de videoconferência.

Essas visitas deverão ser programadas com antecedência e acontecerão durante a semana. O encontro dos advogados com seus clientes também passa pelo mesmo processo.

A suspensão de visitas íntimas atingem os presos que estão nas quatro penitenciárias federais – Campo Grande, Catanduvas, Mossoró e Porto Velho.

*Leia reportagem, de Thiago Gomes, na edição de hoje do jornal Correio do Estado.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também