Campo Grande - MS, segunda, 20 de agosto de 2018

tecnologia

Uso de satélite ajuda
PMA a fiscalizar desmatamento

Na sexta, fiscalização identificou irregularidade em Campo Grande

19 AGO 2017Por RODOLFO CÉSAR12h:32

O uso de imagens de satélites está servido para a Polícia Militar Ambiental (PMA) identificar desmatamentos ilegais em todo o Estado. A fiscalização acontece em parceria com o Ministério Público Estadual (MPE).

As áreas são levantadas e os dados precisam ser cruzados com dados dos licenciamentos. Se for constatado desmatamento não autorizado, a PMA faz vistoria no local e multa os responsáveis.

Ontem (18), uma equipe da base de Campo Grande identificou em propriedade rural do município a degradação de vegetação de cerrado cometida por pecuarista de 37 anos. O nome do infrator não foi divulgado. O desmatamento aconteceu sem autorização.

O fazendeiro mora na Capital e fez corte de vegetação nativa na fazenda que fica às margens da BR-163, em um total de área de 3,6 hectares. No local foi montada pastagem. "As atividades foram interditadas. O infrator foi autuado administrativamente e multado em R$ 1.200,00. Ele também responderá por crime ambiental, que prevê pena de seis meses a um a ano de detenção", informou nota da PMA.

Essa constatação foi a segunda já verificada por meio do novo método, utilizando imagens de satélite.

Como o infrator ainda vai precisar apresentar plano de recuperação de área degradada e alterada (PRADA) ao Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul (Imasul), o acompanhamento desses medidas também poderá ser feito com satélite.

Leia Também