Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Assine a Newsletter

MOBILIZAÇÃO

Moradores do Dom Antônio bloqueiam
BR-262 e causam congestionamento

Eles reclamam do despejo, mau cheiro, trânsito e falta de iluminação

11 JAN 19 - 10h:19GABRIELA COUTO E RENAN NUCCI

A BR-262, em frente ao Lixão de Campo Grande está bloqueada por moradores do bairro Dom Antônio Barbosa e região. Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF) o congestionamento já é de 2 quilômetros em cada um dos lados da rodovia.

Além de utilizarem galhos e pedaços de madeira, as próprias famílias fazem um cordão de isolamento da via com o corpo. Os policiais estão tentando articular a negociação com os líderes do movimento para fazer a liberação da pista ao menos de forma gradual.

As 200 pessoas que realizam o bloqueiam ressaltaram que só vão desbloquear a BR se representantes da Agetran, Semadur e Emha comparecerem ao local. Junto ao grupo estão moradores do Jardim Colorado e Pênfigo, que moram às margens do córrego Anhanduizinho.

Eles receberam notificação para desocupar as residências. Ao todo são mais de 200 famílias que devem ser despejadas. “Recebi a notificação há 15 dias. Moro na mesma casa há 20 anos. Ela é de alvenaria e eu pago água e luz. Se quiserem tirar a gente daqui, saímos, mas desde que coloquem em outra casa”, disse o pedreiro José Bezerra da Silva, 44 anos.

O líder comunitário do Conjunto José Teruel Filho, Jeferson Benites, afirma que a medida foi tomada após tentativas frustradas de reuniões com a Prefeitura de Campo Grande. Agora eles só vão encerrar a mobilização se três reivindicações forem atendidas.

“Queremos que o mau cheiro seja resolvido. A região fede bosta o dia inteiro, em razão do Lixão, da Organo Oeste e de uma estação de esgoto da Águas Guariroba”, afirmou. O segundo ponto da pauta é a questão do trânsito de caminhões pesados que passam por dentro do bairro. “Onde já se viu movimento desse tipo de  veículo o dia inteiro na frente de uma creche. Olha o risco que isso representa.”

E por último, eles pedem mais iluminação pública. “Estamos abandonados e na escuridão”. O local é propício para que caçambeiros descartem entulhos de forma irregular em terrenos baldios.

Dona  Veranilce da Silva Marques, 63 anos, é uma das integrantes do bloqueio. Ela mora no Jardim Colorado e afirma que não pode receber visitas por conta do odor. “É o dia todo isso. Fica pior no final da tarde. A casa fica podre o dia inteiro e a gente chega perder até a fome.”

 

Esse artigo foi útil para você?
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Suzano instalará mais uma fábrica de celulose em Mato Grosso do Sul
RIBAS DO RIO PARDO

Suzano instalará mais uma fábrica de celulose em Mato Grosso do Sul

Cidade Solar é inaugurada com capacidade de geração de 9,36 milhões de kWh/ano
ENERGIA SOLAR

Cidade Solar é inaugurada com capacidade de geração de 9,36 milhões de kWh/ano

Decisão do TJ sobre PRF que matou empresário abre precedente no STF
RICARDO SU MOON

Decisão do TJ sobre PRF que matou empresário abre precedente no STF

Após um mês, emissão de RG é regularizada em Mato Grosso do Sul
FINALMENTE

Após um mês, emissão de RG é regularizada em MS

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião