Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Homicídio em hotel

Três testemunhas de acusação são ouvidas em primeira audiência de lutador

Lutador Rafael Martinelli Queiroz é acusado de matar hóspede de hotel em abril de 2015

17 AGO 15 - 17h:40Glaucea Vaccari

Três testemunhas de acusação foram ouvidas pela Justiça nesta segunda-feira (17) na primeira audiência do caso do lutador de Jiu Jitsu, Rafael Martinelli Queiroz, 27 anos, acusado de matar o engenheiro eletricista Paulo César de Oliveira em um quarto de hotel em Campo Grande, no dia 18 de abril.

De acordo com o advogado que representa Rafael, Darguim Julião Villalva Júnior, outras quatro testemunhas de defesa são de São Paulo e devem prestar depoimento por meio de carta precatória. Rafael só será ouvido depois do depoimento de todas as testemunhas, ainda sem data definida. O advogado e o lutador acompanharam os depoimentos desta segunda.

A defesa pediu um exame para atestar insanidade mental do lutador, mas o laudo ainda não ficou pronto. “O que se tem até então é um laudo preliminar de psiquiatra particular que atesta surtos psicóticos, mas é preliminar e ele ainda vai passar por outros procedimentos”, disse o advogado.

O lutador é acusado do crime de lesão corporal dolosa em relação à namorada (C.M de M.), em situação de violência doméstica, além do crime de homicídio qualificado por motivo torpe, meio cruel e por recurso que dificultou a defesa de Paulo César, além do crime de resistência à prisão. A denúncia foi recebida no dia 14 de maio.

O CASO

O crime ocorreu no dia 18 de abril, no Hotel Vale Verde. O lutador, que é de Valparaíso, no interior de São Paulo, estava em Campo Grande para participar de uma competição, no entanto, teria perdido a luta por WO (desistência).

Rafael agrediu a namorada, que fugiu do quarto e se escondeu na recepção. Transtornado, Rafael saiu pelo corredor do segundo andar do hotel batendo de porta em porta a procura de Carla. Ele quebrou câmeras de segurança, sensores de presença, forro, gesso, derrubou extintores e danificou portas de vários apartamentos.

Durante a procura, Rafael invadiu o quarto de Paulo Cezar e o agrediu com cadeiradas na cabeça.

Em depoimento à Polícia Civil,o suspeito confessou ter agredido a namorada com um soco, mas afirmou não se lembrar de todos os detalhes do ocorrido no dia do crime. Depois do depoimento, Rafael foi encaminhado a uma prisão, onde aguarda julgamento em uma cela especial por possuir nível superior.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Agricultores contabilizam prejuízos nas lavouras de Mato Grosso do Sul
GEADAS MS

Agricultores contabilizam prejuízos nas lavouras de MS

Energisa altera desligamento de energia para 14h às 18h
OBRAS REVIVA

Energisa altera desligamento de energia para 14h às 18h

"Meu neto ficou apavorado quando soube da notícia", diz mãe de Eliza
GOLEIRO BRUNO

"Meu neto ficou apavorado quando soube da notícia", diz mãe de Eliza

Tubulação entope e lago <br> do parque enche de água
PARQUE DAS NAÇÕES INDÍGENAS

Tubulação entope e lago
do parque enche de água

Mais Lidas