Campo Grande - MS, terça, 21 de agosto de 2018

TRÁFICO

Traficantes usavam serviço delivery
de pizzaria para distribuir drogas

Maconha mofada foi encontrada e seria vendida para usuários e traficantes

7 AGO 2017Por MARIANE CHIANEZI17h:32

Três homens foram presos suspeitos de liderarem o tráfico de drogas na região norte de Campo Grande. Wellington Jackson Batista Bezerra, de 28 anos, Macsander Aparecido Ovando da Silva, de 26, e Emerson de Lima Furtuoso, de 29, estavam com 396 kg de maconha e 1,3 kg de pasta base de cocaína.

A prisão deles aconteceu na sexta-feira (4) por policiais da Delegacia Especializada na Repressão ao Narcotráfico (Denar). O caso foi apresenta à imprensa hoje à tarde.

Conforme delegado João Paulo Sartori, da Denar, grupo estava sendo investigado há três meses após unidade receber denúncia de que suspeitos havia assumido a liderança do tráfico na região depois da prisão de Rogério Campos de Moraes durante a Operação Zona Norte, desencadeada em fevereiro desde ano.

Naquela ocasião, polícia apreendeu 510 quilos de maconha, 106 quilos de cocaína e nove armas de fogo.

“A partir de denúncia através do 3345-0000 [número de denúncia da Denar], verificamos que informação procedia e começamos a investigá-los. Na última sexta, realizamos a parte ostensiva da operação e flagramos o trio”, disse Sartori.

FLAGRANTE

O trio foi preso enquanto chegavam na casa de Wellington. Com um dos envolvidos, Emerson, foi encontrado dois molhos de chaves onde um deles abria portões de uma casa indicada como centro de armazenamento de drogas.

Na primeira casa, localizada na Rua Passatempo, no Jardim Presidente, foi encontrado 1,3 kg de pasta base de cocaína.

Na segunda residência, identificada como "casa de festas", na Rua Nelsom Abraão Lemos, no Jardim Cerejeira, foi encontrado dentro de um freezer 396 kg de maconha congeladas.

Suspeitos disseram que entorpecente estava sendo guardado no local porque estava mofando e com o congelamento, poderiam recuperá-la para poder colocar de volta ao mercado do tráfico.

DISTRIBUIÇÃO

Ainda conforme Sartori, suspeitos vendiam entorpecente para outros traficantes locais e para usuários na forma conhecida como 'disque entrega'.

Um dos envolvidos, Macsander, seria dono de uma pizzaria no Bairro Estrela do Sul e usava os entregadores para fazer serviço delivery de drogas. Suspeito negou que é dono de um estabelecimento comercial e qualquer envolvimento com o crime.

“Até mesmo caminhoneiros [compravam entorpecentes]. Eles estão substituindo o antigo rebite, por cocaína”, apontou o delegado.

 
  • Droga apreendida. Foto: Gerson Oliveira/Correio do Estado
  • Suspeitos presos eram investigados por liderar tráfico de drogas na região norte de Campo Grande. Foto: Gerson Oliveira/Correio do Estado
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também