Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Assine a Newsletter

Indubrasil

Trabalhadores passam mal
em curtume que funciona mesmo interditado

Três setores da indústria foram interditados pelo Ministério do Trabalho e Emprego (MTE)

3 SET 15 - 12h:30VÂNYA SANTOS

Mesmo interditado, ao menos pelo Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), o curtume Qually Peles, que fica no Indubrasil, em Campo Grande, mantém suas atividades normais e funcionários reclamam do forte cheiro de produto químico.

Conforme denúncia feita ao Portal Correio do Estado, nesta quinta-feira (3) pelos menos dois dos 40 funcionários que trabalham no local passaram mal com náuseas e forte dor de cabeça. Sem condições de exercer suas atividades, eles deixaram a indústria e foram para casa.

Já os funcionários que permaneceram no local reclamam que trabalham mesmo sentindo fortes dores de cabeça por conta do cheiro de produto químico e que sequer receberam do curtume máscaras de proteção.

Ainda de acordo com os trabalhadores que atuam no beneficiamento do couro, eles não deixam o local porque já foram avisados de que se forem embora terão o dia de trabalho descontado do salário. “Tem pessoas trabalhando nos dois turnos e o cheiro é muito forte”, garantiu um dos funcionários do Qually Peles.

INTERDIÇÃO

Interditado desde a morte de dois de seus funcionários em razão do acidente de trabalho ocorrido no domingo (30), o curtume Qually Peles conseguiu autorização para continuar funcionando até o fim do tratamento dos couros que já tinham começado a ser processados. A permissão foi assinada pelo coronel do Corpo de Bombeiros, Alexandre Figueiredo e se estende até o dia 5 deste mês.

Já o Ministério do Trabalho e Emprego interditou três setores da indústria, sendo o tanque onde os dois funcionários morreram, o depósito de produtos químicos e os tambores de processamento de couro, onde ocorre a manipulação de produtos químicos.

MORTES

Dois funcionários morreram e outros dois ficaram feridos depois do acidente que ocorreu por volta das 10h30min de domingo em um tanque de resíduos, onde a água do curtume é tratada. Segundo relatos de trabalhadores, os quatro teriam caído dentro do recipiente.

Leandro Cesario, 32 anos, foi retirado pelos funcionários, mas já estava morto e Roberto Carlos Prieto da Silva, de 38 anos, morreu dentro do tanque. Wellington Britto e Ademir de Jesus Ribeiro também foram retirados, um teve ferimentos graves e foi socorrido por equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu).

Wellington, que precisou ser “entubado”, foi levado para a Santa Casa e nesta quinta-feira (3) deixou a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e foi transferido para a enfermaria.

Esse artigo foi útil para você?
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Ruas do Centro serão interditadas para realização de obras
CAMPO GRANDE

Ruas do Centro serão interditadas para obras

Aeroporto de Campo Grande transmite mensagem sobre coronavírus a partir de hoje
ALERTA DA ANVISA

Aeroporto de Campo Grande transmite mensagem sobre coronavírus a partir de hoje

Emplacamento será suspenso para implantação de sistema da placa Mercosul no MS
PRÓXIMA SEMANA

Emplacamento será suspenso para implantação de sistema da placa Mercosul no MS

Estado registrou 6.328 demissões em dezembro, aponta Caged
PESQUISA

Estado registrou 6.328 demissões
em dezembro, aponta Caged

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião