Campo Grande - MS, sábado, 18 de agosto de 2018

ANTIVÍRUS

Todos os presos durante operação do Gaeco no Detran já foram liberados

Contratos entre empresas de Informática e Poder Público são investigados

31 AGO 2017Por LUCIA MOREL08h:50

Todos os presos durante a Operação Antivírus, do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) já estão soltos. O ex-deputado estadual Ary Rigo (PSDB) e os empresários José do Patrocínio Filho, Fernando Roger Daga e Anderson da Silva Campos, sócios e ex-sócio da Pirâmide Central Informática LTDA foram liberados ontem à noite.

Todos estão, assim como os diretores do Departamento Estadual de Trânsito (Detran), impedidos de irem até a sede do departamento em Campo Grande e de manter contato com funcionários do órgão. Eles foram beneficiados com deferimento do pedido de habeas corpus, determinado pelo desembargador João Maria Lós, do Tribunal de Justiça.

Rigo estava em cela da 3ª Delegacia de Polícia, localizada no bairro Carandá Bosque e os outros três, no Centro de Triagem Anízio Lima, no bairro Jardim Noroeste, junto ao Complexo Penitenciário. A soltura do trio foi confirmada por servidores da Agência Estadual de Gestão Penitenciária (Agepen). 

O advogado do ex-deputado, Carlos Marques, disse que seu cliente queria prestar os esclarecimentos devidos ao Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) e então, tentar evitar alguma ação penal futura. Por isso, o pedido de liberdade foi feito ontem à tarde e não no dia da prisão do ex-deputado, na terça-feira, dia 29.

Na decisão que beneficiou Rigo, o desembargador do Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul (TJ/MS), João Maria Lós, defere o pedido e determina que o ex-deputado compareça periodicamente em juízo e “nas condições fixadas pelo juiz, para informar e justificar atividades”, além de estar proibido de ir até o Detran ou manter contato com servidores do órgão. O uso de monitoramento eletrônico via tornozeleira foi descartado por não haver “indício de fuga”.

Em suas alegações, o magistrado acata pedido da defesa que afirma que não há confirmação de provas contra o ex-deputado e aponta o fato dele ser idoso de 71 anos de idade, portador de doença cardíaca e ter filho especial que depende dele. 

Rigo foi preso durante Operação Antivírus do Gaeco que fez busca e apreensão em 29 locais, além de prender 12 pessoas, entre elas o ex-deputado, também foram presos o diretor presidente do Detran, Gerson Claro Dino e seu adjunto, Donizete Aparecido da Silva, os diretores de finanças e de tecnologia, Celso Braz de Oliveira Santos e Gerson Tomi, respectivamente. O chefe de execução orçamentária, Érico Mendonça, também foi preso, mas assim como os demais, foi solto ontem.   

Luiz Alberto de Oliveira Azevedo, servidor público estadual lotado na Secretaria de Governo do Estado de Mato Grosso do Sul (Segov) e na Secretaria de Estado de Fazenda (Sefaz) também foi liberado ontem, assim como Jonas Schimidt das Neves, sócio da empresa Digitho Brasil, atual Digix e seu secretário Claudinei Martins Rômulo, liberados na noite de terça.

A operação tem como foco apurar a existência de organização criminosa voltada à prática dos crimes de corrupção ativa e passiva, fraude em licitação, peculato e lavagem de dinheiro. A investigação teve início em 2015 e tem como objeto contratos celebrados entre empresas da área de tecnologia da informação/informática e o Poder Público Estadual.
 

Leia Também