Campo Grande - MS, segunda, 20 de agosto de 2018

CRIME BÁRBARO

Testemunhas de acusação sobre morte de menino em lava jato serão ouvidas

Adolescente teve mangueira de compressão introduzida no ânus e morreu

9 AGO 2017Por MARESSA MENDONÇA09h:54

A primeira audiência sobre o caso da morte de Wesner Moreira da Silva, que faleceu depois de ter mangueira de ar compressor inserida no ânus, será realizada no dia 5 de setembro.

Conforme as informações divulgadas pela assessoria de imprensa do Tribunal de Justiça, na ocasião serão ouvidas as testemunhas de acusação.

No dia 2 de outubro será a vez das testemunhas de defesa dos acusados prestaram depoimento à Justiça.

CRIME

No dia 3 de fevereiro, mangueira de ar foi introduzida no ânus do rapaz pelo patrão e colega de trabalho em lava jato na Vila Morumbi, em . O local chegou a ser incendiado. Já em depoimento à polícia, os agressores alegaram que tudo se tratava de uma “brincadeira” e foram liberados logo em seguida.

Perfurações levaram a retirada do intestino grosso do adolescente, que teve quadro estabilizado cinco dias depois do crime. Era ele quem mantinha a família há um mês com o que ganhava lavando carro, pois a mãe não trabalha e o pai tem câncer.

 

Leia Também