Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, quarta, 21 de novembro de 2018

pesa no bolso

Taxa de iluminação vai ser cobrada
em dobro a partir de julho

Consumidor vai pagar os R$ 42 milhões não recolhidos no ano passado

31 MAI 2017Por DA REDAÇÃO07h:00

Sobrou para o contribuinte a queda de braço entre a gestão anterior e a Câmara Municipal de Campo Grande.

O campo-grandense terá de arcar com cobrança dupla do Custeio da Iluminação Pública (Cosip) durante seis meses, a partir de julho. Ou seja, além de pagar a taxa cobrada normalmente, também vai assumir o pagamento do que não foi cobrado entre julho do ano passado e janeiro deste ano.

Nesse período, a taxa foi suspensa por força da Lei Complementar Municipal n° 285, de 22 de julho de 2016. De acordo com o secretário municipal de Finanças, Pedro Pedrossian Neto, a medida será implantada a partir de julho e renderá R$ 7 milhões mensais a mais ao fundo municipal, totalizando R$ 42 milhões ao final dos seis meses. 

A data para retomada da cobrança foi estabelecida em reunião, ontem, entre representantes da prefeitura e da Energisa, concessionária responsável pelo serviço de energia na Capital, à qual cabe o recolhimento da taxa.

A cobrança se tornou inevitável, pois, no início do mês, os desembargadores do Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul (TJMS) acataram o pedido formulado pela ex-prefeito Alcides Bernal e declararam inconstitucional a suspensão da cobrança.

*Leia reportagem, de Tainá Jara, na edição de hoje do jornal Correio do Estado.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também