Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, terça, 11 de dezembro de 2018

ELEIÇÕES 2018

Simone Tebet desiste de candidatura
ao governo do Estado

Senadora do MDB alegou “pressão familiar” para jogar a toalha

12 AGO 2018Por Eduardo Miranda21h:57

Durou apenas 15 dias a candidatura da senadora Simone Tebet (MDB) ao governo de Mato Grosso do Sul. Na noite deste domingo, ela desistiu de sua tentativa de concorrer ao cargo máximo do Estado nas eleições de outubro. A senadora alegou “pressão familiar” para desistir do pleito. É a segunda troca de candidatos no MDB em menos de 30 dias. Até então, o ex-governador André Puccinelli era o pré-candidato do partido, mas sua prisão, em 20 de julho último, inviabilizou os planos da legenda.

Foi Puccinelli, há duas semanas, durante conversa com Simone Tebet no Centro de Triagem de Campo Grande, onde está preso preventivamente, que apelou a ela para substituí-lo na cabeça da chapa do MDB nas próximas eleições. A senadora havia atendido ao pedido e, agora, acatando apelo de seu núcleo familiar, recuou. 

“Conhecendo meus problemas de ordem pessoal, recebi apelos contundentes da minha família para não ser candidata. Assim, acatando ao apelo de meus familiares, renuncio, à minha candidatura ao Governo do Estado de Mato Grosso do Sul pelo MDB”, afirmou Simone Tebet em ofício encaminhado na noite deste domingo (12) à direção do MDB.

No mesmo documento, ela critica a prisão do ex-governador André Puccinelli, e sugere o procurador de Justiça, Sérgio Harfouche, seu vice até então, como nome na disputa ao governo. 

PRISÃO CRITICADA

“Não posso – e os emedebistas e o povo sul-mato-grossense não podem – compreender como “normal” a prisão de um candidato a governador às vésperas da eleição, sem prévia condenação. Vimo-nos, então, obrigados a reagir a esse novo quadro de forma imediata, levados pela emoção e ainda chocados com as medidas que lhe foram impostas”, afirmou Simone, ao criticar a prisão preventiva de seu correligionário. 

Em outro trecho, ela lembrou que a candidatura do ex-governador, já estava viabilizada. “Nosso Partido estava, até duas semanas atrás, com a sua campanha totalmente estruturada em torno do nosso candidato natural ao Governo do Estado, André Puccinelli”, frisa.

O ex-governador, investigado por lavagem de dinheiro, figurava entre os preferidos do eleitor nas pesquisas de intenção de voto realizadas até a data de sua prisão. 

RUMO 

No documento em que renunciou à candidatura ao governo de Mato Grosso do Sul, Simone Tebet fala em apoiar candidatos de outros partidos, e cita seu vice na chapa, Sérgio Harfouche, como uma das possibilidades. “Se a opção for a escolha de um quadro partidário para ocupar a cabeça de chapa, quero lembrar o nome do companheiro Sérgio Harfouche, cuja competência e cujo compromisso com esse projeto não podem ser postos em causa” indica.

Ela conclui o ofício, colocando-se à disposição do MDB nas próximas eleições. “Seja qual for a opção a ser adotada por esse Diretório, terá em mim uma militante aguerrida e disciplinada na defesa – volto a repetir – do nosso projeto político, que considero (e não precisaria dizê-lo) o melhor para a nossa gente”.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também