Quarta, 13 de Dezembro de 2017

tempo

Sem obras adequadas, margens
de rios e córregos desmoronam

Com previsão de mais chuva, falta de drenagem efetiva deixa visível o caos

6 DEZ 2017Por DA REDAÇÃO06h:00

A cada novo período de chuvas intensas, geralmente iniciado em dezembro, os problemas estruturais e de drenagem em Campo Grande voltam à tona. Desta vez, as fortes chuvas nos primeiros cinco dias do mês já atingiram 43% – 94,2 milímetros – do esperado para os 31 dias deste mês (cuja a média histórica é de 212,6 mm, mas a previsão é de 220 mm para este ano). 

Nas encostas de córregos e rios que cortam a cidade, a situação caótica aparece a cada chuva. No Córrego Prosa, na Avenida Ricardo Brandão próximo ao cruzamento com a Rua Bahia, parte da lateral interna está desabando e se evoluir pode atingir o asfalto dos dois lados.

O concreto da canalização se soltou e o gabião que segura a encosta deslizou para dentro das águas. Poucos metros à frente, pelo menos cinco árvores estão afundando no solo em outra possível erosão. Com as chuvas intensas e praticamente diárias, o solo está encharcado e a chance de novos deslizamentos é grande.

A prefeitura não deu prazo para que haja uma intervenção no local. Em nota, disse apenas que, “depois de feito o serviço no Segredo, haverá intervenção neste trecho do Prosa, depois da Rua Bahia”.

Em outro ponto do mesmo córrego, nas avenidas Fernando Corrêa da Costa e Ricardo Brandão, as encostas de gabião estão cedendo e as equipes de trabalho da prefeitura não conseguem atuar para impedir os deslizamentos. O serviço preventivo deveria ter ocorrido no período de estiagem, o que não foi feito.

Além dos problemas nos córregos e rios, a Capital sofre com os constates alagamentos por conta da precariedade ou, até mesmo, inexistência do sistema de drenagem nas ruas. Com poucas equipes para atender toda a cidade, a Defesa Civil de Campo Grande conta com a ajuda de voluntários e precisa trabalhar em parceria com outros órgãos públicos para solucionar os problemas. 

*Leia reportagem, de Leandro Abreu, na edição de hoje do jornal Correio do Estado.

 

Leia Também