Campo Grande - MS, quinta, 16 de agosto de 2018

Exame de DNA

Sem corpo de Kauan, delegado
aposta em provas científicas

Material genético está sendo comparado pela perícia criminal

2 AGO 2017Por DA REDAÇÃO06h:00

Provas científicas devem auxiliar a Polícia Civil a concluir o inquérito do assassinato do menino Kauan Andrade Soares dos Santos, 9 anos.

O delegado titular da Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA) e responsável pela investigação, Paulo Sérgio Lauretto, informou que o inquérito deverá ser concluído apenas com base nas provas materiais, já que o corpo do garoto ainda não foi encontrado. 

Até agora, foi confirmado apenas que o material genético colhido na casa do suspeito, antes de ter sido incendiada no dia 23 de julho – possivelmente de forma criminosa –, é de alguém do sexo masculino.

“Saiu o resultado parcial do exame de DNA. Existe presença de material genético compatível com DNA do sexo masculino. Vamos aguardar mais um pouco para concluir, pode ficar pronto nesta quarta-feira [hoje]. Estamos esperando”, afirmou Lauretto.

A casa do homem de 38 anos, suspeito de ter estuprado, matado e também ocultado o corpo de Kauan – tudo com o auxílio de um adolescente de 14 anos –, no Bairro Coophavila II, em Campo Grande, foi parcialmente destruída após incêndio e saqueada.

*Leia reportagem, de Natalia Yahn, na edição de hoje do jornal Correio do Estado.

Leia Também