Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, sexta, 16 de novembro de 2018

em revisão

Secretário promete edital do tapa-buraco
para próxima semana

Licitação suspensa mantinha critérios que motivaram três ações de improbidade

10 JUN 2017Por DA REDAÇÃO05h:00

O secretário de Infraestrutura e Serviço Público de Campo Grande, Rudi Fioresi, admitiu, nesta sexta, que a licitação que vai escolher as empresas responsáveis pela manutenção das vias públicas de Campo Grande, suspensa pelo Tribunal de Contas do Estado na semana passada, utilizou concorrências passadas – que são questionadas na Justiça – como modelo.

“Para elaboração deste edital, utilizamos as normas técnicas exigidas em licitações anteriores”, afirmou. 

Na sexta, ele prometeu para a próxima semana a abertura de um novo edital, que, segundo ele, atenderá às orientações do Tribunal de Contas de Mato Grosso do Sul, e minimizou a suspensão.

“O tribunal está sempre buscando um aprimoramento. Não tem nada de excepcional nisso [a suspensão]”, completou.  

Um dos pontos questionados pela corte de contas, o qual poderá restringir a concorrência, é a obrigação de depósito de 1% do valor orçado pelas empreiteiras candidatas como garantia prévia.

O mesmo argumento é utilizado pelo Ministério Público Estadual para fundamentar ações de improbidade administrativa contra políticos, servidores e empreiteiras da última operação tapa-buraco, licitada em 2012.

*Leia reportagem, de Eduardo Miranda e Bárbara Cavalcanti, na edição de hoje do jornal Correio do Estado.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também