Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

impasse

Santa Casa enrola prefeitura
para forçar aumento de repasse

Para secretário de saúde, a situação é como uma “bomba” prestes a estourar

5 MAI 17 - 07h:00DA REDAÇÃO

Continua o impasse entre a administração municipal de Campo Grande e a Santa Casa, que faz ameaças de paralisar atendimentos caso não haja aumento no repasse mensal de R$ 20 milhões.

O secretário de saúde, Marcelo Vilela, afirma que a prefeitura não vai ceder e que já encaminhou a situação para os Ministérios Públicos Estadual (MPE) e Federal (MPF).

“Ficam ameaçando fechar o Pronto Socorro, mas não podem fazer isso. Já oficiei a situação ao Ministério Público Federal e ao Ministério Público Estadual. A bomba vai estourar”, afirmou Vilela, que aparenta estar bastante insatisfeito com a postura do hospital.

O contrato entre a Santa Casa e o município encerrou-se em dezembro do ano passado, mas aditivo o prorrogou até março deste ano, quando venceu novamente.

A Secretaria Municipal de Saúde (Sesau) informou que, mesmo sem a contratualização vigente, espera que os repasses sejam mantidos. No entanto, estão ameaçados, já que há necessidade de contrato vigente para que os pagamentos sejam feitos.

Isso porque, de um lado, o hospital quer que os recursos transferidos sejam aumentados em R$ 3,5 milhões, o que é negado pela prefeitura, que quer manter os R$ 20 milhões. A Santa Casa não quer assinar nova contratualização que não incorpore o aumento pedido ou, pelo menos, cláusula que indique redução de 30% no encaminhamento de pacientes por meio da regulação.

*Leia reportagem, de Natalia Yahn, na edição de hoje do jornal Correio do Estado.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

MNT recorre à Justiça para que Santa Casa pague salários atrasados
TUTELA DE URGÊNCIA

MNT recorre à Justiça para que Santa Casa pague salários

Brasil ocupa o 44º lugar no consumo de agrotóxicos
RANKING FAO

Brasil ocupa o 44º lugar no consumo de agrotóxicos

Evento oferecerá renegociação de dívidas, cursos e exames gratuitos
CAMPO GRANDE

Evento terá renegociação, cursos e exames gratuitos

Abrasel pressiona e <br> votação sobre canudos é adiada
PEDIU VISTAS

Abrasel pressiona e votação sobre canudos é adiada

Mais Lidas