Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, quarta, 21 de novembro de 2018

Campo Grande

Reforma inacabada em posto
de saúde adia inauguração da obra

Investimento foi de R$ 247 mil, provenientes do Ministério da Saúde

28 AGO 2017Por Lucia Morel10h:53

Reforma inacabada na Unidade Básica de Saúde (UBS) Dona Neta, no Bairro Guanandi impediu a inauguração que estava programada para esta manhã. No local, lâmpadas queimadas chamam atenção em meio a apenas duas ou três que estão em funcionamento. A escuridão é um problema, principalmente a partir das 16 horas, quando o sol começa a se pôr.

A reportagem do Correio do Estado foi ao local para acompanhar a entrega da reforma, que estava programada para as 9h30 de hoje, dentro do calendário mensal de eventos em comemoração aos 118 anos de Campo Grande. Mas ao chegar lá, foi informada que o evento havia sido cancelado porque os consertos previstos não foram finalizados.

Alguns funcionários disseram que há muitas lâmpadas queimadas e que a prefeitura não tem como repor por estar com falta de material. Na recepção, era fácil ver inúmeras desligadas e apenas algumas acesas. Além disso, vidros quebrados, pintura incompleta ou ainda descascando e falta de ventiladores na recepção foram identificados.

“A reforma não terminou e cancelaram o evento. Ficaram de colocar lâmpadas novas, mas parece que não tem em estoque, por isso que não trocaram”, disse um funcionário que preferiu não se identificar. Já pacientes reclamaram da falta de médicos. “Se quiser ser atendido tem que vir de manhã, porque à tarde não tem médico nenhum aqui”, disse uma paciente que também não quis ter o nome divulgado.

De acordo com a assessoria de imprensa da prefeitura, a unidade recebeu nova instalação elétrica, com tubulação e ar condicionado foram instalados nos consultórios e na recepção. O piso de vários ambientes também foi trocado, a pintura refeita, esquadrias em alguns ambientes trocadas, além da revisão da parte hidráulica e do telhado com pintura. O valor de investimento foi de R$ 247 mil, provenientes do Ministério da Saúde. 

Sobre a reforma estar incompleta, a reportagem enviou questionamento à prefeitura e aguarda posicionamento.

 

 
  • Bruno Henrique / Correio do Estado
  • Bruno Henrique / Correio do Estado
  • Bruno Henrique / Correio do Estado
  • Bruno Henrique / Correio do Estado
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também