quarta, 18 de julho de 2018

CAMPO GRANDE

Professora cai em golpe e perde R$ 40 mil para quadrilha de estelionatários

Este foi segundo golpe semelhante que ocorreu na Capital em três meses

14 AGO 2015Por LAURA HOLSBACK11h:00

Professora, de 61 anos, perdeu R$ 40 mil em golpe, aplicado por quadrilha de estelionatários ontem (13), no Centro de Campo Grande.

A vítima procurou a Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário (Depac) no Centro, por volta das 22h, e contou que caiu no plano criminoso depois de ser abordada por um desconhecido. Com aparência simples parecendo ser morador de roça, o homem se identificou como Jorge Müller, pedindo ajuda para localizar suposto endereço. Depois, outros dois comparsas, entre eles uma mulher, entraram em ação.

Conforme o registro policial, a vítima entrava em um automóvel no momento em que o desconhecido a abordou e disse que precisava encontrar um endereço, onde deveria pagar nota promissória no valor de R$ 315 para o pai “Antônio Müller”.

O suposto credor seria Paulo Afonso Shimit. Logo depois da abordagem, surgiu outro homem, que se identificou como Luis. O segundo golpista disse que ouviu a conversa, morava perto e se propôs a ajudar Jorge.

Neste período, a professora os informou que tem hipoglicemia e precisava comer algo e Luis saiu dizendo que iria até sua casa. Voltou com pedaço de bolo e água.

Posteriormente, os três seguiram - guiados por Luis, até o endereço, o qual a vítima não soube informar, do suposto homem que receberia os R$ 315 da promissória.

TERCEIRO INTEGRANTE

Na casa, foram recebidos por uma mulher que se apresentou como filha de Paulo Afonso. Ela disse que o pai estava internado em hospital para ser submetido a cirurgia no coração e que Jorge não deveria pagar nenhum valor e sim receber a quantia de R$ 700 mil.

Luis se ofereceu a abrir uma conta corrente para que o valor fosse depositado e Jorge até ironizou com fato de confiar em desconhecidos. Disse: “Como posso confiar em vocês para receber meu dinheiro? Meu pai sempre me disse para confiar em pessoas que têm dinheiro. Porque se tem, não vão querer o meu”, lembrou a professora.

Na sequência, Jorge pediu que Luis e a professora lhe dessem algum valor como garantia de que lhe dariam o montante de R$ 700 mil. A vítima aceitou a proposta quando Jorge prometeu recompensa de 15% pela ajuda.

Para parecer ainda mais verdadeira a história, Luis foi até a suposta casa e retornou com envelope cheio de notas que pareciam ser dólares ( 50 mil) e entregou a Jorge. Depois, a vítima percorreu bancos e fez sete saques até somar R$ 40 mil. Ela percebeu que havia caído no golpe na última agência que esteve, quando os bandidos sumiram depois de deixá-la para outra retirada de dinheiro. 

OUTRO CASO

Em maio deste ano, golpe semelhante em que criminosos também simularam ajuda, no entanto, para receber suposto prêmio do mesmo valor - 700 mil, fez funcionária pública, de 53 anos, perder R$ 25 mil. 

 

Leia Também