Campo Grande - MS, segunda, 20 de agosto de 2018

IRREGULARIDADES

Procon autua 14 supermercados por vender produtos com validade expirada

Fiscalização também verificou propaganda enganosa e falta de precificação

2 OUT 2017Por GLAUCEA VACCARI16h:01

Operação do Procon-MS em Campo Grande resultou na aplicação de 14 autos de infração e a localização de 1108 produtos com prazo de validade expirado, mas que mesmo assim estavam expostos para a venda.

A Superintendência para Orientação e Defesa do Consumidor, que é ligada à Secretaria de Estado de Direitos Humanos, Assistência Social e Trabalho (Sedhast), programou as 15 inspeções depois de receber denúncias de consumidores.

A operação foi realizada entre os dias 4 e 25 de setembro, em Campo Grande. A maior quantidade de produtos com prazo de validade expirado foi flagrada no dia 22 de setembro, totalizando 330 itens em um supermercado que não teve o nome divulgado.

No dia 21, em outro estabelecimento, foram encontradas cinco latas de fórmula infantil para lactantes e crianças de primeira infância com prazo de validade vencido e expostas para venda, o que foi considerado grave pelos fiscais.

Todos os produtos vencidos e impróprios para consumo foram descartados nos estabelecimentos, na presença dos fiscais.

Além da validade, também foi verificada publicidade enganosa em alguns supermercados, com produto anunciado em panfleto com preço que não correspondia ao de venda no caixa.

Supermercados atacadistas e de varejo fiscalizados estão localizados no centro de Campo Grande e nos bairros Chácara Cachoeira, Santa Fé, Jardim Alegre, Cruzeiro, Vila Carlota, Aero Rancho, Bandeirantes, São Conrado, Jockey Club, Buriti, Tijuca, Vila Planalto e Monte Castelo.

PUBLICIDADE ENGANOSA

Uma irregularidade identificada por fiscais na operação do mês passado foi a propaganda enganosa com relação a preços divulgados no panfleto promocional. Eles estavam divergentes se comparados ao que era praticado no supermercado.

Estava na relação desse tipo de problema fralda descartável, anunciada por R$ 29,90, mas que o preço cobrado era R$ 35,90. Uma diferença de R$ 6. O consumidor precisava comprar três pacotes para efetivar a promoção, mas no caixa não era computado o desconto.

O Procon ressaltou que qualquer tipo de abuso praticado deve ser denunciado pelo telefone 151 ou pelo Fale Conosco do site do órgão.

"Além de publicidade enganosa e produtos vencidos, podem ser denunciadas outras situações que demandam fiscalização, como demora na fila de banco, ausência de preços na vitrine etc", orientou nota.

Leia Também