Campo Grande - MS, sábado, 18 de agosto de 2018

resíduos de empresas

Prefeitura prevê economia com fim
de pagamento por grandes coletas

MPE indica que gasto mensal de R$ 435,3 mil pelo serviço é indevido

3 JUL 2017Por DA REDAÇÃO05h:00

Num período máximo de 90 dias, a Prefeitura de Campo Grande deverá paralisar a coleta de resíduos sólidos provenientes dos chamados grandes geradores, como estabelecimentos comerciais, shoppings, indústrias e condomínios, por exemplo.

Para o prefeito de Campo Grande, Marcos Trad (PSD), a recomendação é vista com “bom grado” e até afirmou que a medida trará economia aos cofres municipais.

Para o Ministério Público Estadual (MPE), o município paga indevidamente R$ 435.350,40 todos os meses para a CG Solurb realizar esse serviço que, segundo lei nacional de resíduos sólidos, é de responsabilidade do ente que produz o lixo.

Trad enfatizou o fato de, com aplicação efetiva do que foi recomendado, Campo Grande vai economizar dinheiro.

“Vamos buscar atender, até porque traz economia para a município”, disse, ao passo que comentou ainda que vai conversar com a concessionária do lixo, a CG Solurb, e verificar também o contrato com a empresa para que a recomendação possa ser posta em prática.

“Os grandes geradores têm que atender a lei e agora vamos ver a maneira jurídica de fazer isso, sem causar quaisquer sanções às cláusulas do contrato”, afirmou o prefeito, comentando que é preciso saber se a concessionária poderá continuar atendendo os grandes geradores de forma particular sem ferir o contrato com a prefeitura.

*Leia reportagem, de Lucia Morel, na edição de hoje do jornal Correio do Estado.
 

Leia Também