Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, segunda, 19 de novembro de 2018

estrutura

Prefeitura divulga equipamentos para
UPA e confirma 21 novos médicos

Por enquanto, só unidade do Coronel Antonino foi equipada

17 JUN 2017Por RODOLFO CÉSAR13h:20

As unidades de saúde 24 horas de Campo Grande estão recebendo novos equipamentos para auxílio no monitoramento cardíaco e no trabalho de estabilização e suporte a vida de pacientes.

A primeira Unidade de Pronto Atendimento (UPA) a receber os aparelhos foi a do bairro Coronel Antonino. A Prefeitura de Campo Grande divulgou que foram entregues 16 monitores portáteis de sinais vitais, sete desfibriladores e monitores de suporte avançado de vida, cinco oxímetros portáteis de pulso, três detectores fetais, oito carros maca, 10 ostocópios, 20 aspiradores elétricos móveis de secreção e 37 escadas clínicas de dois degraus.

Mais equipamentos estão previstos para chegar, mas não foi divulgado cronograma de distribuição deles nos seis Centros Regionais de Saúde (CRSs) e nas outras duas UPAs que existem na Capital. Também não foi informado o valor total investido.

Além de aparelhamento, um dos principais problemas no setor de saúde pública da cidade é a falta de profissionais. Somente com médicos, a Secretaria Municipal de Saúde deveria ter 1,2 mil servidores nessa função atendendo nas unidades, mas o quadro atual é de 1.070 para serem distribuídos em 82 postos.

A situação se agravou mais entre janeiro e março deste ano, quando 136 profissionais deixaram de atender o município.

Sobre essa situação, a prefeitura informou que desde o início da atual administração, em janeiro, foram convocados 21 profissionais.

O prefeito Marcos Trad (PSD) garante que está atento à condição deficitária e na quinta-feira (15) foi até a UPA do Coronel Antonino para averiguar o atendimento.

“Nossa visita não é para intimidar nenhum servidor, mas para averiguar as dificuldades e oferecer o melhor para o paciente, que procurou a unidade como última alternativa, e para o servidor que precisa do mínimo para prestar um bom atendimento”, declarou o prefeito.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também