Campo Grande - MS, domingo, 19 de agosto de 2018

Diário Oficial

Prefeitura da Capital pagará mais
de R$ 50,1 milhões por cascalhamento

Secretário de Obras, Rudi Fioresi, disse que valor exorbitante não será totalmente pago

4 AGO 2017Por Lucia Morel10h:30

A Prefeitura de Campo Grande vai pagar mais de R$ 50,1 milhões para duas empresas realizarem serviços de cascalhamento, patrola, mutirões de limpeza e podas.

O valor exorbitante, segundo o secretário de obras Rudi Fioresi é apenas estimado e não será totalmente pago, uma vez que “paga-se apenas o que de fato for usado”. Os recursos são do Fundo de Desenvolvimento do Sistema Rodoviário do Estado de Mato Grosso do Sul (Fundersul).

Os contratos são com as empresas JR Comércio e Serviços Ltda - ME e MS Brasil Comércio e Serviços Ltda - EPP das quais a administração alugará “máquinas pesadas, caminhões, veículos leves e equipamentos para a execução de serviços no Município de Campo Grande/MS”, de acordo com extrato publicado na edição de ontem do Diário Oficial de Campo Grande.

Em ambos, prevê-se que as próprias empresas deverão fornecer “combustível, operadores de máquinas, motoristas, alimentação, traslado, manutenção de todo o maquinário e demais custos para atendimento das demandas da Secretaria Municipal de Infraestrutura e Serviços Públicos - SISEP”. 

A JR Comércio, cujo contrato tem valor total de R$ 34.618,680,00, entregará, através de aluguel ao município, caminhão basculante toco, caminhão pipa e motoniveladora. Já a MS Brasil alugará pás carregadeiras e mini retroescavadeiras ao custo previsto de R$ 15.506.400,00. O valor total dos contratos chega a R$ 50.125.080,00.

De acordo com o titular da Sisep, tais contratos são resultado de licitação iniciada no ano passado e previa a locação de muitos equipamentos. “O valor do processo foi montado com possibilidade de locação de muitos equipamentos, por isso o valor tão alto. Mas isso é só em forma de empenho, feito por estimativa”, pondera.

Para este segundo semestre, por exemplo, Fiorese explica que só será empenhado e posteriormente pago “o que temos a necessidade de usar, por isso com certeza vamos ficar muito abaixo disso”, comenta, ao informar que até dezembro, o valor empenhado é de R$ 397 mil.  

“É por estimativa que vamos locar os equipamentos, conforme a necessidade. Vamos supor que vou precisar de cinco caminhões para recolher galhos de poda. Solicito os cinco e pago só os cinco”, reforça. Os contratos têm validade de 12 meses.

Leia Também