Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, sábado, 17 de novembro de 2018

Obra de US$ 56 mi

Prefeitura divulga resultado de licitação
para iniciar obras do Reviva Centro

Equipe que vai realizar laudos técnicos do projeto custará R$ 2,2 mi

21 SET 2017Por Izabela Jornada18h:36

Criado há quase sete anos e com pedido de empréstimo liberado no Banco Interamericano do Desenvolvimento (BID), o projeto de revitalização do Centro de Campo Grande, o Reviva Centro, teve resultado de licitação divulgado hoje.

Edital publicado no Diário Oficial (Diogrande) informou sobre contratação com valor de R$ 2,220 milhões para formação de unidade gerenciadora que será composta por consultores responsáveis por elaborar relatórios técnicos.

Para que a Prefeitura de Campo Grande consiga utilizar os US$ 56 milhões obtidos para a obra por meio do BID é preciso ter estruturada a unidade gerenciadora do programa Viva Campo Grande II.

“Essas contratações fazem parte do processo licitatório do BID”, explicou a diretora de Projetos Estratégicos da Secretaria de Governo da Prefeitura de Campo Grande, Catiana Sabadin. 

Serão contratados cinco profissionais para elaborar serviços de consultoria em engenharia para o apoio à Unidade Gestora do Programa de Desenvolvimento Integrado do Município de Campo Grande - Viva Campo Grande II.

Todos os consultores estarão conveniados com a prefeitura pelo prazo de 60 meses, ou seja, cinco anos. “O salário desses profissionais, sem férias e décimo terceiro, será de mais ou menos R$ 8 mil cada”, explicou Catiana.

Os relatórios serão técnicos nas áreas ambiental,de  arquitetura, elétrica, financeira, entre outras. 

OBRAS

Um das primeiras obras que deverão sair do papel são as unidades habitacionais. “Até dezembro devemos licitar essas obras. Mas não vai acontecer tudo no mesmo ano. São cinco anos de projeto”, ratificou a diretora.

Outra intervenção que está próxima de ser licitada é a revitalização da Rua 14 de Julho. Como o projeto tem investimentos na rede elétrica, em 2014 adequações foram apresentadas para então concessionária Enersul. Como houve alteração de na estrutura da empresa, agora novo projeto deve ser analisado e liberado pela Energisa, atual concessionária responsável.

“A Energisa ainda não respondeu sobre as novas normas de adequações pedidas por eles. Estamos aguardando para então podermos iniciar as obras na Rua 14 de Julho”, apontou Catiana. 

PROJETO

As mudanças envolvem requalificação da Rua 14 de Julho entre as Avenidas Fernando Corrêa da Costa e Mato Grosso, formação de calçadão nessa via em três quarteirões, projeto piloto de habitação e criação de área integrada entre o Mercadão Municipal, Horto Florestal e Morada dos Baís.

Além da mudança da fiação que passará a ser subterrânea, a Rua 14 de Julho terá ainda redução de pistas de rolamento para duas faixas com o objetivo de aumentar a calçada e tentar valorizar os comércios locais e o trânsito de pedestres.

“Nós conversamos com o pessoal da Associação Comercial. Revimos o projeto porque tem certa confusão em relação ao que foi feito no plano local. São três quadras que não vão ter estacionamento. As outras a gente vai manter o estacionamento. Queremos criar um ambiente de shopping a céu aberto”, explicou Catiana Sabadin, anteriormente.

O projeto prevê também proposta habitacional dentro do Reviva Centro, onde serão construídas 300 unidades habitacionais no Jardim Cabreúva e Vila Planalto.

CONTRATADOS

Os extratos de contrato divulgados no Diário Oficial informaram que Roberta Katayama Negrisolli foi contratada para serviços de consultoria em engenharia pelo valor de até R$ 600 mil, no prazo de até 60 meses.

Eliane Elena Vilalba Gonçalves assinou contrato para consultoria em economia e finanças  no valor de até R$ 480 mil e com prazo de execução de até 60 meses.

Ainda, Renata da Silva teve contrato firmado pelos serviços de assessoria técnica para monitoramento e avaliação de informações das atividades de planejamento, controle e gerenciamento de processos administrativos, licitações, aquisições, controle interno e integrado de processos. O valor desse convênio é também de até R$ 480 mil e com prazo de até 60 meses.

Airton Faria Vargas fechou convênio para consultoria em engenharia elétrica para adequação do projeto elétrico da requalificação da Rua 14 de Julho, no trecho entre as Avenidas Fernando Corrêa da Costa e Mato Grosso. O prazo desse contrato passa a valer a partir da entrega da emissão de ordem de ordem de serviço e do fornecimento pela Energisa. e tem valor estimado em R$ 180 mil.

Juliana de Mendonça Casadei foi contratada para consultoria socioambiental por até R$ 480 mil e período de até 60 meses.

Todos tem vigência a partir de 1º de agosto de 2017, mas foram publicados no Diário Oficial em 21 de setembro.

*Editada às 15h35 para acréscimo de informações.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também