Campo Grande - MS, segunda, 20 de agosto de 2018

Rio Anhanduí

Prefeitura aguarda autorização para dar início a revitalização da Ernesto Geisel

Duas empresas ficarão responsáveis pela obra, pelo valor de R$ 48 mihões

23 OUT 2017Por GLAUCEA VACCARI15h:51

Prefeitura de Campo Grande aguarda até o fim desta semana, quando vence o prazo de cinco dias úteis, para apresentação de recursos e autorização da Caixa Econômica Federal para dar início as obras de revitalização e controle de enchentes do rio Anhanduí, na avenida Ernesto Geisel, em Campo Grande. Resultado do processo licitatório foi divulgado na última sexta-feira (20).

Conforme o secretário de Infraestrutura e Serviços Públicos, Rudi Fiorese, expectativa é que a obra comece ainda este ano, porém, o período chuvoso deve deixar o trabalho um pouco mais lento.

A primeira etapa da obra inclui o recapeamento da Ernesto Geisel, que margeia o rio, entre as ruas Santa Adélia e Aquário. Neste pacote estão inclusas obras de drenagem, recomposição dos taludes e sistema gabião de canalização, recapeamento da avenida, ciclovia e sinalização de trânsito.

Esta etapa se estende por 2,4 quilômetros, somando 4,8 quilômetros nas duas margens do rio, onde erosão coloca em risco as pistas da Norte Sul e Avenida Ernesto Geisel.

Obras serão executadas por duas empresas que venceram a licitação, sendo dois lotes pela Dreno Construções, com sede no Paraná, e um lote pela Gimma Engenharia Ltda, de Minas Gerais.

O lote um compreende o trecho entre as ruas Santa Adélia e Abolição; lote 2 é o trecho entre as ruas Abolição e Bom Sucesso e o terceiro lote, da rua Bonsucesso até a Rua Aquário.

A obra faz parte de um conjunto de ações para controle de enchentes nos bairros Marcos Roberto,  Jockey Clube,  Jardim Paulista e Vila Progresso.

Segundo a prefeitura, foram  investidos R$ 26 milhões em rede de drenagem e intervenções em afluentes do rio, sendo os córregos Cabaça e o Areias, que despejam suas águas no Anhandui. O projeto também prevê construção de muros laterais, com placas de concreto e sistema gabião, que permitirá a drenagem e a urbanização com grama.

ORÇAMENTO

Valor total dos três lotes ficou em R$ 48.497.999,21, redução de 15,57% na estimativa inicial do custo da obra, que era de R$ 56.118.414,08. Prazo para conclusão é de 18 meses, a contar da assinatura da ordem de serviço.

A redução de R$ 7,6 milhões no orçamento do projeto, que conta com R$ 47 milhões do Ministério das Cidades, reduzirá também a contrapartida da Prefeitura, de R$ 9,1 milhões para aproximadamente R$ 4,8 milhões. Deste total, R$ 900 mil já estão assegurados com a parceria entre a Prefeitura e o Governo do Estado.

Leia Também