Campo Grande - MS, sexta, 17 de agosto de 2018

risco ambiental

Poluição leva Ministério Público a pedir
interdição de curtume em Campo Grande

Fiscalização identificou descarte clandestino de lodo em propriedade rural

11 SET 2017Por EDUARDO MIRANDA19h:27

O promotor Luiz Antonio Freitas de Almeida pediu na Justiça Estadual a interdição do curtume e graxaria Qually Peles Ltda, localizado em Campo Grande, no Bairro Indubrasil.

O local, segundo o integrante do Ministério Público Estadual (MPE), polui o meio ambiente e apresenta várias irregularidades. 

Fiscalização recente da Secretaria de Meio Ambiente e Gestão Urbana (Semadur), realizada no mês passado, flagrou descarte clandestino do lodo em propriedade rural vizinha ao empreendimento. Os fiscais, na ocasião da aplicação da multa, foram impedidos de entrar no local pela administração do curtume. 

O desrespeito à legislação ambiental, segundo o MPE, fez com que a Qually Peles fosse alvo de 19 notificações diversas e autos de infração nos últimos anos. 

Este já é o terceiro pedido de interdição do curtume. Em outras duas oportunidades o Judiciário ordenou o fechamento temporário do local: em 2013 e em 2015.

Além do pedido para interromper as atividades do curtume, que tramita na 1ª Vara de Direitos Difusos, Coletivos e Individuais Homogêneos, o MPE também requisitou a abertura de inquérito policial para investigar a possível prática de crimes ambientais. 
 

Leia Também